Inverno em plena Primavera

A Primavera deste ano, ainda não deu um ar da sua graça, pois apesar de ter chegado há quase um mês, as temperaturas continuam baixas e até a neve vai surgindo aqui e ali,sobretudo na parte centro e norte de Portugal.

Deixamos aqui algumas fotos de um passeio por terras de Trás-os-Montes, mais precisamente pela aldeia de Montesinho.

Das mais típicas daquela região e situada a cerca de mil metros de altitude, Montesinho tem visto as suas ruas e campos cobertos de neve como ser estivéssemos em pleno inverno. A beleza é uma constante por onde vamos passando. Em pleno Parque Natural de Montesinho, somos seduzidos pela beleza paisagística mas também pelas ruas típicas da aldeia com as suas casas em granito, com telhados de lousa e varandas em madeira com vista para a serra. Por estas terras não é difícil avistar a águia real, um lobo ibérico, um veado ou mesmo uma cegonha negra.

Fica aqui a nossa sugestão para um passeio por aquelas bandas onde poderá encontrar belas casas de turismo rural e onde poderá fazer demoradas caminhadas em contacto com a natureza em estado puro.

A.C.

Fotos: José Costa

NO TEMPO DAS MERCEARIAS

As duas fotos que hoje apresentamos são duas reconstituições de antigas mercearias louletanas, encerradas há décadas.

As mercearias resistiram até aos anos setenta do século XX,vendendo a grande maioria dos seus artigos avulso e a peso, tal como feijão e grão, banha e manteiga, farinha e muitos outros artigos. O azeite por exemplo era colocado numa garrafa que o freguês trazia de casa assim como o petróleo para os fogões. Quem não se recorda do cheirinho a café que nos fazia gostar mais daqueles lugares, que afinal quase todos os dias frequentávamos ?

Mas para lá de tudo isto havia o célebre livrinho de capa preta onde se apontavam os fiados. E não eram poucos. Os magros ordenados dos chefes de família não permitiam pagar cada compra de imediato. Assim ficava o pagamento para o final do mês e muitas vezes para o do mês seguinte.

As mercearias tiveram o seu fim transformando-se em mini mercados com o aparecimento dos artigos embalados e normalizados.

As duas fotos dizem respeito à Mercearia António Leal e à de João Nascimento (Joanico Pequenino) e tiveram a colaboração na sua composição da MJVitorino.

António Clareza

CARNAVAL de LOULÉ 112 ANOS DEPOIS

DECORRIA O ANO DE 1906 QUANDO SE REALIZOU O 1º CARNAVAL CHAMADO , CIVILIZADO DE LOULÉ. ATÉ ENTÃO AS COMEMORAÇÕES CARNAVALESCAS NA NOSSA TERRA, NÃO PASSAVAM DE BRINCADEIRAS POUCO CIVILIZADAS E ATÉ UM TANTO VIOLENTAS. ESTES FESTEJOS QUE FORAM MUITO PARTICIPADOS PELA POPULAÇÃO, CONSTAVAM DE UMA MATINNÉ NO TEATRO LOULETANO, BATALHA DE FLORES E UM BODO AOS POBRES.

0 CORTEJO DE CARROS ALEGÓRICOS PERCORRIA A ACTUAL PRAÇA DA REPÚBLICA E CENTENAS DE PESSOAS APINHADAS AO LONGO DO CORTEJO ASSIM COMO NAS VARANDAS E JANELAS DOS PRÉDIOS, APLAUDIAM AQUELE QUE SERIA O 1º CORSO DOMINADO PELOS CONFETTIS, SERPENTINAS E BOMBOS.

TRÊS BANDAS DE MÚSICA EM TRÊS CORETOS IMPROVISADOS ABRILHANTARAM OS FESTEJOS.

A INICIATIVA DO BODO AOS POBRES FOI CONTEMPLADA COM 200 ESMOLAS, SENDO A RECEITA TOTAL DA FESTA, DE 78$20 QUE FOI APLICADA N A SUA GLOBALIDADE PARA SATISFAZER PESSOAS NECESSITADAS.

NOS DIAS DE HOJE O CARNAVAL É ORGANIZADO TOTALMENTE PELA CÃMARA MUNICIPAL E A RECEITA ARRECADADA IRÁ REVERTER EM 50% PARA AS IPSSs DO CONCELHO, SENDO A OUTRA METADE DISTRIBUÍDA PELOS 10 CLUBES E ASSOCIAÇÕES QUE INTEGRAM O DESFILE.

Fotos: CML; José Costa

EI-LAS FLORIDAS DE NOVO !

BRANCAS …ALVAS COMO O LINHO,

AS FLORES DE AMENDOEIRA

LEMBRAM-NOS O TEMPO DE OUTRORA,

DAS HISTÓRIAS À LAREIRA .

 

E ATÉ A LINDA PRINCESA,

QUE VIVEU NA NOSSA SERRA,

AQUI SENTIU A PUREZA

DA NEVE DA SUA TERRA.

 

QUANDO A LUA LÁ DO CEU

ESPREITA A TERRA ALGARVIA,

JULGA OUVIR DA AMENDOEIRA

A MAIS BELA MELODIA.

 

E QUANDO O VENTO LEVAR

AS FOLHAS BRANCAS PR’A LONGE,

SAUDADES DELAS VAMOS TER,

COMO NO MOSTEIRO…O MONGE.

 

(Velho Mouro, poeta louletano de fim de semana . )

Fotos de José Costa