QUEM TERÁ SIDO A TI ANICA DE LOULÉ ?

untitledkuiokililki campones alarvia 1 TASCA-FARENSE-ANOS-50...

Personagem cantado em cantiga popular há muitos e muitos anos por todo o país, muitos são os que perguntam quem foi afinal esta mulher cujo único elemento que todos julgamos saber é que seria uma mulher do Povo. Pelo que nos parece pouco foi estudado até hoje acerca desta figura tão popular que Portugal canta nas suas festas e romarias.

Nos “Quadros de Loulé antigo” de autoria de Pedro de Freitas encontrámos a fls. 60 daquele livro o seguinte: “ Divulgada já por toda a parte, ela está enxertada em estacas estranhas. Todavia continua fiel a si mesmo, pelo que “ Ti Anica” há-de ser sempre louletana.

Já a vimos numa alegoria interessante: – na Feira Popular, em Lisboa, pelo ano de 1951, a um recanto, uma baiuca, um balcão e lá estava ela, velha simpática, aspecto ladino, baixa, de óculos pretos à pont do nariz, um tanto sorridente fazendo as honras à sua típica tabernazinha.

Por essa imagem de reclame fez a CML um ofício à Comissão da Feira, na persuação de que ela se teria baseado em qualquer documento antigo onde pudesse afirmar tratar-se de um motivo oriundo de Loulé. Nada oficialmente averiguado, porém.A Comissão limita-se a responder que tinha evocado, apenas, a lenda que corria.

Em 1954 sou solicitado pelo Dr. J. Rumina idóneo sesimbrense, para que informasse sobre a origem da Ti Anica de Loulé. Respondo num artigo publicado no jornal de Tavira, Povo Algarvio, nº 1049, de 15 de Agosto, onde em resumo, faço correr o que ouvi aos meus avós.

Que “ Ti Anica de Loulé” era uma versão que já corria talvez há uns dois séculos e que teria tido o seu início pelos Santos Populares – Stº António, S. João e S. Pedro.

Que teria havido uma velha de nome Anica, rapioqueira, popular, proprietária de alguma taberna onde os devotos dos «copinhos de aguardente »e dos « decilitro de vinho», sempre assíduos à taberna e à taberneira, com ela por ocasião dos bailes populares, promovessem danças alegres e vibrantes,e a tais pontos, que a moda entrou na vontade do povo e tomou raízes.

E porque a acção dançarina era na época dos folguedos populares, alguém a musicou – se não mesmo saíu espontânea dos próprios dançarinos, desse povo anónimo que é sempre o grande compositor …..”

 

Fonte: “ Quadros de Loulé Antigo” de Pedro de Freitas – Fotos : Net –

Eusébio o maior jogador português de sempre morreu aos 71 anos

eusebio-em-portugal

Eusébio pouco depois de ter chegado a Portugal.

eusebio-thumb

89035

Admiradores choram a morte do seu ídolo – Foto de José Sena Goulão \EFE

Eusébio nasceu em Moçambique colonial e começou a jogar futebol nos júniores do Sporting Clube de Lourenço Marques onde alinhou em 44 jogos oficiais. Ali começou a chamar a atenção para a sua extraordinária forma de jogar já que nos ditos 44 jogos obteve a inacreditável soma de 77 golos.

Depois de algumas lutas clubisticas para a compra do jogador no continente, Eusébio estreou-se oficialmente pelo Benfica em 10 de Junho de 1961, começando logo a tornar-se notado pela sua categoria como jogador. Aos 22 anos de idade Eusébio recebe propostas milionárias por parte da Juventus e do Real Madrid.O Benfica julgando estar à beira de perder o seu melhor jogador pede a intervenção do Presidente do Conselho de então, Oliveira Salazar no intuito de impedir que este saísse para algum dos clubes estrangeiros intertessados. Assim, Oliveira Salazar decidiu proibir a saída de Eusébio para qualquer outro clube estrangeiro já que o mesmo era considerado património do Estado. Já retirado do futebol Eusébio lamentou várias vezes esta decisão de Salazar, que o impediu de alcançar melhor situação económica tal como outros grandes jogadores conseguiram.

Eusébio da Silva Pereira considerado o maior jogador português de sempre despediu-se hoje do mundo dos vivos.

 

\\\ Fonte: www.Fotosantesedepois.com

Um Feliz Ano 2014 com o Deus Menino ainda deitado……

Presepio  UM Presepio DOIS 1506008_686098384763586_301804134_n

Apesar de ter nascido na noite de 24 para 25 deDezembro o Menino Jesus continua deitado nas palhinhas dos presépios de todo o mundo, já que só após a chegada dos Reis Magos e que será em 6 de Janeiro, os ditos presépios serão desarmados e voltarão ao escuro das gavetas onde cada um de nós os guarda até que chegue o próximo Dezembro.

 

Pequena história do Presépio : “ O Presépio representa o nascimento de Cristo, e constitui um dos motivos mais notórios da estatuária portuguesa.

A palavra “Presépio” tem origem no hebreu, significando “manjedoura” ou “estábulo”. As primeiras imagens que representam a Natividade, e em que figuram Jesus, Maria e José, encontram-se desde o século VI, em mosaicos, no interior de igrejas e templos.

São Francisco começou a divulgar a ideia de criar figuras de barro que representassem o acontecimento, construindo em 1223 o primeiro presépio. A partir dessa altura, a ideia passou para os conventos e casas nobres, com representações cada vez mais luxuosas, algumas consideradas autênticas obras de arte. Num processo de mimetismo, e com as adaptações necessárias às posses de cada casa, os presépios foram-se tornando mais vulgares, mais simples, mais populares. Ao mesmo tempo, foram-se-lhe acrescentando mais figuras: o burro, a vaca, os reis magos, pastores, ovelhas, anjos…

A verdade é que, para Portugal, surgem documentados presépios, ligados a instituições religiosas, no século XVI. A sua generalização acontece no século XVII, sofrendo um forte desenvolvimento no período Barroco, em que grandes barristas como Machado de Castro e António Ferreira executam alguns dos mais ricos e belos exemplares hoje preservados. No século XIX, o presépio começou a ser objecto da arte popular, caindo em desuso a criação destes presépios monumentais.”

Fonte :BLX- Bibliotecas Municipais de Lisboa.

Fotos: Presépio do Blog “ Louletania”obtidas por José Costa.

********************

A todos os visitantes do Blog “ Louletania” fazemos votos de que neste ano que agora se iniciou se concretizem muitos dos vossos desejos. Obrigado.

António Clareza