NATAL ACABADO … PRESÉPIO DESARMADO !

Depois de armados durante um mês, os tradicionais presépios portugueses, voltam às caixas e às gavetas onde estiveram adormecidos o resto do ano. Afinal qual a origem deles ? A verdade é que, para Portugal, surgem documentados presépios, ligados a instituições religiosas, no século XVI. A sua generalização acontece no século XVII, sofrendo um forte desenvolvimento no período Barroco, em que grandes barristas como Machado de Castro e António Ferreira executam alguns dos mais ricos e belos exemplares hoje preservados. No século XIX, o presépio começou a ser objecto da arte popular, caindo em desuso a criação destes presépios monumentais. “ BLX -Lisboa.

Cá por casa é já costume antigo, armar o presépio num recanto que seja mais visível. E na verdade ele tem crescido de ano para ano já que se vão adquirindo todos os anos novas figuras ou complementos que ajudem a embelezá-lo. Mas como em tudo na vida, o tempo passa tão rápidamente que ainda nos parece estar a fazer os habituais serões para o colocar de pé e com a maior beleza possível dentro das habilidades de cada um dos armadores.

–E pronto. Como lá diz o provérbio, “ Acabada a festa desarma-se o Trono “.

Um Bom Ano 2018 para todos !

Fotos de A. Clareza.