Um Monstro louletano

O MONSTRO

O Folheto que aqui publicamos é deveras interessante, já que descreve a existência de  um monstro que nasceu a 10 de Maio de 1765, em Monporlé  e morreu seis dias depois. Era um bezerro desfigurado, com dois focinhos, duas bocas e três olhos que despertou grande curiosidade nas gentes de Loulé ao ponto de diariamente as visitas à quinta do lavrador Domingos Martins serem em número significativo. Contaram-se muitas fantasias acerca do ocorrido, descrições que não correspondiam à realidade, levando o cidadão F.J.D.S.R. a escrever uma carta a um amigo onde contava detalhadamente o que presenciou e dizia que foi ele que fez, depois do monstro morrer, «a anathomia em tudo». Este senhor acompanhou a vida do monstro ao longo da sua curta existência e foi ao longo dos dias tecendo considerações sobre as anomalias verificadas, razões do sucedido, outros casos conhecidos e consultas realizadas e até  «a opinião do Senhor Doutor Anselmo Joseph de Souza Callado, Médico desta Villa».

Fotos: Documento de época; imagem de monstro de BD dos tempos de hoje.

Fonte: Luís Guerreiro a quem agradeço a amabilidade.

4 pensamentos em “Um Monstro louletano

  1. Que coisa interessante essa cointada agora tantos e tantos anos depois. Está também de parabéns o Engº Luisn Guerreiro que lá vai descobrindo este e outrios assuntos de interesse da nossa história local.

  2. A humanidade sempre foi fascinada por monstros. Mitologias de todo o mundo relatam histórias de criaturas estranhas e aterrorizantes. Apesar de muitos deles serem obviamente ficcionais há apenas um século a crença nessas bestas era muito comum.

    Os monstros modernos não são tão fantásticos e mesmo que a maioria das pessoas duvide de sua existência alguns têm certeza de que monstros desconhecidos habitam nosso pálido ponto azul. Parece que um punhado deles aparece todos os anos nos noticiários. Algumas vezes é um novo vídeo embaçado ou algo na água do lago Ness; algumas vezes é uma foto feita por um caçador ou algo que parece um Pé Grande, ou pode ser um urso. Se estes monstros existem ou não seu mistério estará sempre conosco.
    Alessandra Nogueira

  3. Afinal não é só no Entroncamento que existem fenómenos:
    Fenómenos

    O Entroncamento é vulgarmente conhecido em Portugal como sendo ‘a terra dos fenómenos’ [23]. De acordo com relatos populares, passam-se desde o seu começo eventos curiosos, extraordinários ou mesmo fantásticos, que recebem ainda hoje alguma cobertura dos media.

    Uma origem plausível para esta denominação remonta à década de 50, altura em que um comerciante local colocou na montra do seu estabelecimento uma abóbora gigante, ou ‘fenomenal’, de modo a atrair a atenção dos transeuntes. A abóbora, adquirida por um agricultor da vizinha vila da Golegã, teria cerca de 50 kg. Durante os anos seguintes foram sendo expostos na dita montra outros legumes e frutos ditos ‘fenomenais’, fosse pelo tamanho ou por sua formas sugestivas, frequentemente antropomórficas, vindo a história a propagar-se e adquirir as dimensões actuais.

    Na realidade, os acontecimentos tidos como fenomenais, confirmados ou não, têm sido registados por todo o mundo. Wikipedia

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>