A mulher do campo….

Antes do galo cantar,
Já botou água no fogo p’ra ferver
Eu sei: olha lá a fumaça a escapar da chaminé
O cheiro de relva, o sabor do café (com rapadura ou açúcar)
Já tem vida acordada antes do raiar do dia

Ela se ajeita e dá a partida,
O companheiro e a marmita
A família está de pé

Os filhos vão daqui a pouco
Na estrada de chão
Certamente, para escola do alfabeto e do pão,
E das lições da vida!

As mulheres estão ceifando.
Anunciata, uma dessas, lá das bandas do Cipó
De uma famosa montanha, de campos a seu redor

Assim é essa mulher, que se arruma e sai p’ra lida
Faça chuva, faça sol. Não tem tempo a perder
Não tem férias. Ai, meu Deus, não tem férias…
Ronda o medo de sofrer…
Ai, meu Deus! Ronda o medo de sofrer….

Poema de :
A CAMPOS, – Blog de Maria das Graças A. Campos

Fotografia: Rosa Pomar – Antigas camponesas de Aljezur

6 comentários a “A mulher do campo….

  1. Gente sofredora que merece um lugar de destaque. Estamos neste momento a voltar a tempos que não queríamos. O Governo vai anunciar medidas na saúde despropositadas. Vejam:
    Voltamos ao antigamente só que o nome não é Salazar mas Coelho.Tudo isto tem um fim em vista.Quem for operado antes tem que andar a pedir aos amigos para darem sangue para a operação porque senão tem que o pagar bem caro.Vai deixar de haver tanto reformado porque vão morrer por falta de cuidados de saúde .Mais uma poupança para o governo poder dar dinheiro aos amigos (Cruz)

  2. A propósito do comentário anterior do Carter o Jornal I hoje explica que o Governo vai mudar para pior é evidente os serviços de saúde ——–O “jornal i” escreve que o Governo prepara-se para alterar as regras das taxas moderadoras na saúde em Setembro e vai ter como critério o rendimento dos utentes. A partir dessa data, ficarão isentos do pagamento das taxas moderadoras na saúde apenas as pessoas com rendimentos iguais ou inferiores ao salário mínimo nacional. As restantes, independentemente de serem doentes crónicos, dadores de sangue, grávidas ou crianças, deixam de ter atendimento gratuito no Serviço Nacional de Saúde, ao contrário do que acontece actualmente.

  3. Gostei deste post. Os meus avos trabalharam no duro no campo no tempo em que era de sol a sol e por tuta e meia. A fotografia está belíssima. Boas férias para todos.

  4. Nasci no campo e tenho orgulho nos meus familiares também serem serranos. A Terra é a nossa mãe. Betta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *