Ainda hoje gosto de ver passar os comboios……

av_franca3

Comboio antigo com muita fumarada…..

111125113557_miniature-train-sothebys-new-york-city

Combio de brincar que apenas estava ao alcance de algumas bolsas…

trem_bala2

Comboios da era modera. Supersónicos.

Quem não se recorda da 1ª vez que viu passar à distância ou mesmo chegar a uma das muitas estações de caminho de ferro existentes por esse país fora, aquela máquina que traz atrás de si muitas carruagens e a que chamam comboio ?

Lembro-me de que me agarrei com alguma violência ao casaco da minha mãe à medida que aquele monstro de ferro espumando fumo e apitando no escuro da noite se aproximava da estação onde aguardávamos familiares que vinham de longe. Um misto de medo mas também de encanto apoderou-se de mim naquela altura. Nunca mais esqueci o momento. E ainda hoje não é sem algum «respeito» que vejo aproximar-se da estação onde habitualmente embarco, o comboio…que entretanto muito mudou desde aqueles tempos de criança.

Vejamos o que nos diz F. Caravalho em breves linhas, sobre o princípio e na actualidae esta máquina que não pára de evoluir:

Foi a invenção da máquina a vapor e a sua aplicação á indústria que levou os governos europeus, por volta de 1835, a criar novos meios de transporte para escoar com rapidez os produtos saídos das fábricas. Desapareciam as carroças e nascia o caminho-de-ferro, que toma esse nome porque os veículos se deslocavam em carris de ferro. Em Portugal, depois de muitos projectos e constituição de várias empresas fracassadas, foi inaugurada a primeira linha de caminho de ferro entre Lisboa e o Carregado, numa extensão de 37 km. A primeira viagem realizou-se no dia 28 de Outubro de 1856 levando a bordo o rei D. Pedro V, sendo a composição rebocada por duas máquinas.

Os últimos avanços deste magnífico meio de transporte, são os comboios de levitação magnética.
Um comboio de levitação magnética ou maglev é um veículo semelhante a um trem que transita numa linha elevada sobre o chão e é propulsionado pelas forças atractivas e repulsivas do magnetismo. Devido à falta de contacto entre o veículo e a linha, a única fricção que existe, é entre o aparelho e o ar. Por consequência, os trens de levitação magnética conseguem atingir velocidades enormes, com relativo baixo consumo de energia e pouco ruído, (existem projectos para linhas de maglev que chegariam aos 650 km/h). “

In http://pt.slideshare.net/fercarvalho40/comboios-de-ontem-comboios-de-hoje ; Fotos :Net

 

 

4 comentários a “Ainda hoje gosto de ver passar os comboios……

  1. Ainda me lembro do 1º. Numa estação de Viseu. Arrpiei-me toda e choraminguei de medo.

  2. Foi há 150 anos que circulou o primeiro comboio em Portugal (28 de Outubro de 1856). Uma viagem pequena, de cerca de 37 quilómetros entre Lisboa e o Carregado. Foi também uma viagem atribulada, pelo menos a crer no relato que dela nos dá a Marquesa de Rio Maior.
    Ao que parece, a máquina não tinha força para puxar todas as carruagens que lhe atrelaram e… largou algumas delas pelo caminho. Muitos convidados não terão chegado ao local da festa e tiverem de ser recolhidos em vários pontos do caminho.
    Contudo, há poucas certezas sobre os factos desse dia: seriam uma ou duas locomotivas (a Portugal e a Coimbra)? Foram 14, 15, 16 ou 17 carruagens?

  3. Há qualquer coisa que nos atrai nas estações de comboios. Chegar e partir faz parte da vida. Todos já partimos e voltámos….mas houve quem não voltasse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *