Amendoeiras floridas de novo

1010

Em cada Fevereiro que passa, o Algarve veste-se de branco desde há muitos, muitos anos.

Tal como se conta na conhecida “Lenda das Amendoeiras” os campos enchem-se de pétalas brancas que lembram a neve de outras paragens mais longínquas. E é sempre assim em Fevereiro.

É sempre assim, mas nunca nos cansamos de caminhar por veredas ou caminhos em cada ano que passa e com a sensação e o espanto de quem contempla uma paisagem pela primeira vez.

São breves os dias para contemplar as nossas amendoeiras floridas.

Para lá da fotografia obtida aqui bem perto da nossa casa há umas horas atrás, escolhemos também um belo poema do grande Poeta algarvio nascido no nosso concelho , mais precisamente na na aldeia serrana de Alte, de seu nome, Cândido Guerreiro.

Texto e foto: Palma

A m e n d o e i r a s

Em Fevereiro, quando lá de cima
Deus, com a tinta de luar, escreve
Seus lindos versos algarvios, rima
A flor das amendoeiras com a neve…

Neve em flor! Sonho! Alvura! Quem descreve
O noivado irreal que se aproxima,
Pão branco, tão diáfano, tão leve,
Que nem talvez na música se exprima?

– Meninas da primeira comunhão,
Ascéticas, descendo da montanha
À beira do caminho em procissão,

Em vias-lácteas de perfume brando,
Oiço-vos bem a sinfonia estranha,
Porque, amendoeiras, vós estais cantando…

Cândido Guerreiro

5 comentários a “Amendoeiras floridas de novo

  1. Olá Palma,

    Esse é o post. Andos há dias para ver se arranjava tempo para tirar uma fotografia à nossa neve Algarvia. Estão lindas este ano!

    Abraço

  2. João : É aproveitar este fim de semana. Elas estão bem perto. Esta foto por exemplo, foi tirada de cima da Ponte do Cadoiço. Se aparece para aí um ventinho lá se vão rápidamente as pétalas. Bom fim de semana – Abraço

  3. Amendoeiras ao rés das estradas
    Lembram a neve de terras distantes
    Meu Algarve das Mouras encantadas
    Flores tão brancas e tão brilhantes

  4. É um espectáculo magnifico embora muitas delas tenham sido sacrificadas em virtude da construção em todo o lado do Algarve. Que se preservem e que diminua o cimento. Nestor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *