AMORES DE ANTIGAMENTE…….

O amor de antigamente era diferente ? O amor verdadeiro é um sentimento espontaneo estruturado na razão, não na emoção, porque é baseado no conhecimento. Não é compulsivo, ou seja, amamos porque queremos amar, não um sentimento que nos domina onde não temos liberdade de escolha, não importando quão belo achamos……..

ººººººººº

“Não adormeças: o vento ainda assobia no meu quarto e a luz é fraca e treme e eu tenho medo das sombras que desfilam pelas paredes como fantasmas da casa e de tudo aquilo com que sonhes. Não adormeças já.

Diz-me outra vez do rio que palpitava no coração da aldeia onde nasceste, da roupa que vinha a cheirar a sonho e a musgo e ao trevo que nunca foi de quatro folhas; e das ervas húmidas e chãs com que em casa se cozinham perfumes que ainda hoje te mordem os gestos e as palavras.

O meu corpo gela à míngua dos teus dedos, o sol vai demorar-se a regressar. Há tempo para uma história que eu não saiba e eu juro que, se não adormeceres, serei tão leve que não hei-de pesar-te nunca na memória, como na minha pesará para sempre a pedra do teu sono se agora apenas me olhares de longe e adormeceres.”

Maria do Rosário Pedreira

Fotografia : Casamento na Beira Baixa – 1955 (Colec. Particular de “ Louletania” –

19 comentários a “AMORES DE ANTIGAMENTE…….

  1. Palma; é nos casamentos que se dão os encontros de gerações a avaliar pela foto e muitos já deram lugar a outras, é assim e assim continuará a ser… o JR. foi para um, a cores,com vídeo e tudo, rs. lá para os lados de Vale-de-Cambra… a propósito, ele enviou o quadro do pescador? De vez em quando vou enviando um para que você fique como fiel depositário das “obras” já que não espero a quem de direito o faça,rsrs. Hoje quando abri a porta do andar de cima apanhei com uma lufada de ar quente… veja só o quanto fresquinho estava o ambiente no interior, foge… Inté. L.F.

  2. Bonitas palavras, com uma foto fantástica. Adoro fotos antigas.
    Deixo-lhe palavras do nosso grande poeta.

    Porque quem ama nunca sabe o que ama
    Nem sabe porque ama, nem o que é amar
    Amar é a eterna inocência,
    E a única inocência, não pensar…

    Fernando Pessoa

    Tenha um bom domingo

  3. Luis Furtado: Realmente fazer uma comparação com a maquinaria de hoje com as maquinetas daquela altura… Quem imaginaria esta evolução ? Máquinas digitais que fazem tudo e mais qualquer coisa…..\\ O Júnior hoje só não vai ter é o sol tão fundamental para uma bela foto.\\ Já cá tenho ” O Pescador”. Posso publicar ? \\ Também hoje o dia apesar de nublado
    por aqui está quentinho em comparação com o frio de ontem. Grandes mudanças….. será o fim dos tempos….rssss ou produto da azelhice dos homens ? Abraço – Palma

  4. Luisa: Também eu achei este pequeno texto de M.R. Pedreira lindo, por isso o escolhi para acompanhar esta não menos bonita fotografia dos anos cinquenta. ANos de grande pobreza e sofrimento a avaliar pelos rostos da foto e sobretudo dos próprios noivos.
    Uma boa semana para si. – Abraço –

  5. Que bela fotografia certamente tirada com uma pequenina máquina de plástico da kodak. Uma preciosidade. Mauro WW

  6. Palma, já me ri … pelo comentário do Mauro … máquina de plástico da Kodak naquele tempo? lol … as maquinetas eram lindas, lembro-me bem de vários modelos … amor é amor … às vezes assistimos a certas “baralhações” do mesmo, pra não dizer apenas versões … sei que é o melhor estado do mundo desde que com conta peso e medida, como tudo na vida … mau quando o ciúme ataca, quando a liberdade individual corre risco … enfim! … o sol está a dar um ar de sua graça aqui por estas bandas … e venha “O pescador” do Luis Furtado para alegrar as nossas vistas!

  7. Palma; o blog é seu… se vê que traz mais valias, força!… a seguir vou enviar-lhe um que nunca foi exposto, datado de 1987; o Rossio com todo o colorido das vendedoras de flores que já não existem… era bom que o Sr. Presidente da C. M. de Lisboa o visse, podia ser que… \\ por este andar em vez de Louletania, o blog, acabará por chamar-se Palma Furtado,a Galeria do desconhecido,rsrs. Inté. L.F.

  8. Lila; com o trambolhão que dei pela manhã nem dei pelo seu comentário com a referência ao “pescador”… devo esclarecer que é dentro do clássico, um “pescador”, não o “entenderia” de outra maneira, digo eu… a queda felizmente não foi nada de grave, valeu-me o ter feito parte das tropas especiais, (que pomposidade mais foleira) e não ter esquecido o que aprendi, para alguma coisa ela serve,rsrs. degraus encharcados pela humidade e ao descer, pimba, meti a pata na poça,rsrs. Cumprimentos. L.F.

  9. Liliana:Sinceramente também não sei em que ano teriam aparecido aquelas máquinas pequeninas a que o Mauro se refere. Lembro-me até de alugar essas máquinas a troco da revelação das fotos na Loja da Zulmira.\\ O amor é uma coisa complicada como todos sabemos e o ciúme, no fundo outra coisa perfeitamente normal no ser humano ainda mais complicado é……rsss. Saber controlar a ciumite tab dá o seu trabalho…ahhh. Abraço que aqui já chove de novo! Palma

  10. Luis Furtado: Ainda esta manhã cá em casa também estivemos perto de uma escorregadela. A humidade é tanta que as « escaidas» parecem vidro.\\\ Mande-me esse do Rossio antigo que eu terei todo o gosto em colocar aqui com um belo fado…….. que eu cá sei.rs Abraço – Palma

  11. Gostava de utilizar esta foto numa exposição que pretendo realizar na sede do Grupo Sociocultural de Perais, gostaria saber se me permite e se tem mais informação sobre a mesma.
    É fantástico encontrar referências destas, dispersas na web, dá-nos uma sensação de que afinal aquele pontinho no mapa é conhecido e divulgado. Um abraço.
    JCBelo

  12. Expressões de canssaço no rosto das pessoas. Que tempos dificeis. Trabalhava-se de sol a sol nos campos.

  13. A expressão das pessoas era sinal de que a vida era madrasta para aquelas pessoas. Hoje as gerações mais novas não sabem avaliar isso.

  14. Os meus queridos avós fizeram também o seu casamento assim. com alguns amigos e familiares pois o dinheiro era quase nenhum e nos quartos
    só quase lá cabiam as camas. Oxalá esse tempo não volte. Salzarismo nunca mais. VADE RETRO.

  15. Irrita-me ouvir pessoas dizerem que naquele tempo do salazarismo é que era bom. Só demonstram pura ignorância ou então maldade a rodos. pqp
    Maria

  16. Quem defende o salazarismo só pode ser alguém que servia o regime de alma e coração. A maioria da população grande parte analfabeta engolia a pobreza como algo que tinha que ser. Manel

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *