Ataíde Oliveira e os contos que encantaram gerações passadas

Francisco Xavier d’Ataíde Oliveira, Bacharel formado em Teologia, pequeno de físico, gordo, ventrudo, de charuto na boca e chapéu de côco, cara redonda e cores vermelhas, de bengala, foi um coca-bichinhos em esmiuçar, a ouvir velhos e a mexer em papeis, e de todo esse esforço deu-se a escrever as tradições e costumes do povo do concelho de Loulé (e de todo o Algarve).

Obra valiosa !Não deixou morrer a tradição e deu às moças gentes o fino paladar dos Contos Tradicionais do Algarve, Mouras Encantadas e outros, pelo que a gente miuda muito se entretinha a ler ou a ouvir ler tão vasto arsenal de contos que passavam de mais de meio milhar, distribuídos por dois volumosos livros.

Eram eles sempre o melhor «aperitivo» da petizada antes de se deitar. As avós, sector de basta experiência, muito entretinham os netinhos com as coisas dos seus tempos. Algumas delas eram verdadeiros livros abertos.

Em Loulé haviam muitas pessoas idosas de muito saber das histórias passadas “

Francisco Xavier de Athaíde de Oliveira nasceu mo Algoz em 1842 e morreu em Loulé em 1915.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………….

In “ Quadros de Loulé antigo” de Pedro de Freitas.

Foto: Largo de S. Francisco vendo-se ao centro o monumento erigido à memória de Ataíde de Oliveira.

Consultar : (http://pt.wikipedia.org/wiki/Ata%C3%ADde_Oliveira )

3 comentários a “Ataíde Oliveira e os contos que encantaram gerações passadas

  1. Tive um familiar que tinha um exemplar desses contos tradicionais do Algarve. Certamente hoje existirão poucos.

  2. Um recanto do belo jardim que foi o de S. Francisco….hoje uma coisa qualquer copiada de um qualquer lugar do norte do país. Joli

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *