BAILES DE ANTIGAMENTE

Naquele tempo, as meninas chegavam ao baile da Sociedade Recreativa sempre acompanhadas pela mãe, uma tia ou mesmo uma vizinha de confiança . Era necessário estar vigilante. Ao mais pequeno sinal de distracção o atacante (rapaz) poderia desferir o golpe na sua presa (rapariga). Mas…. e há sempre um mas… nestas pequeninas histórias, quando a EDP da altura, falhava o fornecimento de energia eléctrica à rua onde se realizava o baile, então a felicidade era total. Sala às escuras, orquestra tocando num titmo cada vez mais lento, sempre mais lento, enquanto atacante e presa se vingavam da proibição do contacto dos corpos que lhes tinha sido imposto no início da faena.
Na escuridão da sala, a mãe, a tia ou a tal vizinha de confiança nada podiam fazer perante o terrível apagão. Um apagão que naquela hora, fazia a felicidade dos pares que dengosamente enlaçados, se entregavam aos prazeres proibidos de uma simples noite de baile.
Como os tempos mudaram meus queridos amigos e amigas .

 

 

 

 

7 comentários a “BAILES DE ANTIGAMENTE

  1. Ainda assisti a alguns bailes na terra onde vivia. Hoje dança-se aos solavancos. Mudam-se os tempos…

  2. É tempo de relembrar. Acho que se deviam fazer por aí bailes dessess. Fariam sucesso.

  3. Como diz a Lila…recordemos esses velhos tempos da juventude. Deixemos par trás quem nessa altura tanto sofrimento causou em milhões de portugueses.

  4. Recordo-me perfeitamente de ir a esses bailes. Na altura era quase a única forma de os pares se abraçarem. Hoje ninguém liga a isso. Com a liberdade que possuem não precisam nada de bailes deste tipo. Mas lembro-me que a s musicas eram muito agradaveis de daçar.Alberto

  5. Porque será que houve uma mudança tão radical na juventude que nunca vi um par jovem dançando como antigamente ? Maria

  6. Fui a muito baile só para poder ter nos braços as moças com quem simpatizava. A malta hoje encontram-se em qualquer lugar. Não há proibições em relação a isso por isso mesmo não ligam nada a este tipo de dança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *