BURROS À PROCURA DE SALVAÇÃO

Excluído do presépio, está inserido em preocupações terapêuticas, turísticas, cosméticas – e quase em extinção.

Foi nas suas andanças pelos campos mais remotos, em busca da nossa esquecida e tão esquiva fauna ibérica, que Paulo Caetano, autor e fotógrafo do álbum Alerta !!pelos Burros, se deparou com estes animais. Ocorre-lhe, então, dedicar um livro integralmente aos burros, mais uma raça em extinção. « O número de burros diminuiu drasticamente, em Portugal, nos últimos 50 anos», comenta. Não só devido ao confinamento do mundo rural, como às industrializações agrícolas. No Algarve, zona tradicional de burros, já praticamente não são avistados, e cada vez menos no Alentejo ou na região saloia.. Só em Trás-os- Montes os encontrou em maior quantidade, ainda a serem usados como força de trabalho. Curiosamente também aqui, eram menos maltratados: « As pessoas têm estimação por eles, cuidam-lhes dos cascos, uma burra grávida é poupada a trabalhos esforçados ».

O desaparecimento dos burros só tem agora uma via para ser travado, alerta o autor. A asinoterapia, com crianças ou jovens com deficiência. O burro é pachorrento, extremamente inteligente, determinado, cauteloso e tem uma caracteristica inexplicável: a empatia quase imediata com as pessoas. Aliás , eles aproximam-se, procuram afagos, dão marradas com a cabeça para chamar a atenção…» Dantes, quando envelheciam, já sem préstimo para puxar carroças e arados, eram vendidos a ciganos, que os abatiam e vendiam a carne aos circos e ao zoo, para alimentar as feras.

Neste momento , estão em curso duas campanhas de angariação de fundos destinados a criar e ampliar asilos para « burros reformados ». A asinoterapia, o ecoturismo e os passeios de burro são o único meio de salvar a raça. Isso e uma indústria de aproveitamento do leite de burra, para sabonetes e cosméticos. No seu livro, Paulo Caetano faz uma abordagem histórica entre homem e burro – desde os tempos de Cleópatra.

 

  • Fonte: Rev. Visão – Ana Margarida de Carvalho
  • Foto: The Thaos Unlimited Blog

12 comentários a “BURROS À PROCURA DE SALVAÇÃO

  1. Este simpático animal sofreu agruras no tempo em que haviam poucos carros e as pessoas faziam-se transportar em burros. >Caminhadas terríveis durante vidas inteiras. Pobres animais. Merecem esta homenagem. Vou comprar o livro sim senhor.

  2. Até que enfim que alguém se lembrou de lhes dedicar um livro. As pessoas desta geração não sabem avaliar como importantes foram estes animais na vida deste povo, de norte a sul. Jota MM

  3. Era bom que se salvassem os burricos. Tão bem serviram milhares e milhares de familias em Portugal. O Governo deveria ajudar as associações de defesa destes animais. Se há subsidios para tudo porque não para estas ? Ana Maria

  4. Simpáticos animais. Sempre adorei burros mas no lugar onde nasci só haviam três e nenhum deles era do meu avô, com muita pena minha. Que os salvem da extinção são os meus votos. Muitos sucessos para o livro do Paulo Caetano. Fernando

  5. Vou à procura do livro pois é um assunto que me passou a interessar. Nunca tinha pensado a fundo nestes bichos pois já pouco são vistos por aí. Carlos Linus

  6. Até o Papa está a contribuir para a extinção destes adoráveis animais, ao retirá-lo do presépio. Esta é uma boa forma de se esquecer o bicho…

    Será que o Papa teve algum trauma de infância, com burros?

  7. Fátima Almeida, o Papa até às vaquinhas pelo jeito resolveu expulsá-las juntamente com os burritos, mas depois vem dar o dito por não dito. Gente com responsabilidade neste mundo mass pelo jeito pouco interessado em colocar as coisas nos seus lugares.

  8. eu não so gosto muito desses animais,quero comprar uma burra bem novinha logo que esteja desmamada para a criar e educar para puder mostrar a toda a gente.que são animais estraordinarios muito inteligentes e amigaveis.

  9. Penso que o actual Papa ao contrário do anterior não vai expulsar o burro e a vaquinha do Presépio. O anterior Papa é mesmo para esquecer. Ainda bem que saíu antes do tempo regulamentado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *