Em memória das Tílias Louletanas

Temos que fazer com este mastro alguma coisa que nos lembre a nossa árvore antiga e a nossa barca _ disse o chefe da ilha.
Depois de muito pensar resolveram fazer uma biwa, que é uma espécie de guitarra japonesa.
Quando a obra ficou pronta, a população reuniu-se na praça principal e sentaram-se em silêncio em redor do melhor músico da ilha para ouvirem o som da biwa.
Mas, mal os dedos do músico fizeram soar as cordas, de dentro da biwa ergueu-se uma voz que cantou …

A árvore antiga
Que cantou na brisa
Tornou-se cantiga .

Então, todos compreenderam que a memória da árvore nunca mais se perderia, nunca mais deixaria de os proteger, porque

os Poemas passam de geração em geração e são fiéis ao seu povo.

Sofia de Mello Breyner

7 comentários a “Em memória das Tílias Louletanas

  1. Bonita homenagem de alguns louletanos às desaparecidas Tílias que haviam sido apadrinhadas pelo Dr. Bernardo Lopes. Há mandantes em Loulé que não respeitam o passado da usa terra só se lembrando de festas, festinhas e homenagenzinhas quando se lembram que têm de ganhar as próximas eleições.

  2. Sou dos que pensam que para intervir na Praça da República não era necessário derrubar tantas árvores. Aquilo parece um deserto. E no Verão como é que é ? N em sequer é bom para os comerciantes que já se queixam de que o negócio está mal mas como alguns estão de amores com a Câmara não dão o braço a torcer. Agora toma!

  3. Palma; fui à net como me aconselhou, mas mais valia não ter ido… veja só o que me tocou entre perguntas e respostas… o zumbido tem cura?… tem sim, depois de você morrer não vai escutar mais nada,rsrs. e o pneu que tenho na cabeça vai levar o resto da vida a esvaziar?… a melhor opção se calhar é pôr-lhe um remendo,rsrs. \\\ Por aqui as árvores não foram a enterrar, pelo contrário, começam a despontar para um novo ciclo e está a ficar tudo verdinho… as árvores são como os seres humanos, todas da mesma espécie, mas todas diferentes, não há duas iguais… devem ser respeitadas e amadas, com isso, estaremos a respeitar-mo-nos e a amar-mo-nos.
    “O oposto do amor não é o ódio, mas a indiferença”.
    Érico Veríssimo Inté. L.F.

  4. Zelia e Tomix: Cada um de nós mesmo sem ser arquitecto ou engenheiro tem sempre uma qualquer ideia para aquele ou outro espaço. Podem até ser disparatadas mas no que diz respeito às árvores quase toda a gente é pela solução de mantê-las e não acabar com elas. Mas cada cabeça sua sentença como se costuma dizer. Uma boa semana.

  5. Luís Furtado: O que você me fez rir com essa da internet….rsss. Mas pensemos que cada caso é um caso. O seu zumbido pode ser dos que gostam de aborrecer mas depois vão embora para não mais voltar. Espero que tenha a sorte de ter sido visitado por um desses. \\ Quanto às árvores…. aí do seu atelier/miradouro está na época de
    presenciar o crescer da folhagem já que estamos em plena Primavera.
    Abraço aí para casa. Palma

  6. Nem só de Tílias se tem falado. Também os jornais e as televisões não se cansam de apresentar essa coisa chamada pedofilia.
    A Igreja está vetusta, senil. A igreja, clube de 3ª. idade, a igreja instalada, a igreja baluarte, a igreja-sacristia, a igreja-empresa comercial, a igreja comprometida com o poder, a igeja das procissões e das manifestações de força, a igreja das classes e do carreirismo, a igeja adormecida e adormecedora de consciências, a igreja-armazém de inválidos…QUEM A CONFESSA? Termino, com uma quadra de António Aleixo:”Se cá voltasse Jesus / O Filho Mártir do Homem / Escorraçava os que comem / Debaixo da sua Cruz”!

  7. O BEM QUE AS PLANTAS NOS FAZEM

    Oxigenize-se.
    Faça exercício, caminhe diariamente.
    Antes de uma reunião importante ou de um trabalho que necessite de concentração respire fundo.
    Respire em 4 tempos, segure o ar em 16 e exale em 8.
    O doutor Otto Warburg, Prêmio Nobel de Fisiología, fez uma experiência na qual conseguiu converter células sãs em malígnas, através do simples procedimento de reduzir-lhes o oxigênio.
    Fique rodeado de plantas.
    Sabia que uma só planta pode remover partículas contaminadas do ar em um espaço de 9 metros quadrados?
    As plantas aumentam a ionização negativa do ar e o carregam de oxigênio, aumentando nossa produtividade em 10%.
    Algumas plantas como as dálias provaram ser as melhores para isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *