Há 255 anos Loulé sofreu as agruras do grande Terramoto

Passados que são duzentos e cinquenta e cinco anos sobre o grande terramoto do dia 1º de Novembro de 1755, aqui fica a memória escrita de um auto que existia na Câmara Municipal desta vila e que narrava assim o sucedido: – – Em dia 1 de Novembro das 9 para as 10 horas do dia, foi Deus Nosso Senhor servido mandar um terremoto tão valente e duração de 10 minutos até um quarto de hora, que derrubou quasi todas as casas desta villa, e as que não caíram ficaram inabitáveis; padeceu a Egreja Matriz estrago tão grande e não caíu de todo,o mesmo a Egreja de S. Francisco e a dos Capuxos e Santo Antonio. Caíu a Egreja da Graça e todos os mais templos padeceram na forma referida; partiram-se as torres do Castello, caíndo muita parte dos seus muros e caíu a Torre da Vela. Da torre da Matriz caíu o relógio e se desfizeram as grimpas. Morreram quatro mulheres, a filha do Dr. Francisco Gouveia de Abreu na sua casa junto ao muro das Religiosas, na praça; outra na Egreja da Graça com as pedras do Arco da Capella dos Passos; outra aos muros que dão para a Horta D’El Rei onde chamam a porta nova, e outra, vinda da Egreja. Morreram mais três crianças, uma filha de Abreu Martins, outra filha de F. Neto. Caíu muita parte do Convento das Religiosas e por isso se lhe fez acomodação em uma cabana na sua cerca, e saíram muitas para as casas dos seus parentes com ordem e licença do seu Prelado. Caíu a Cadeia, saíndo dela todos os presos. Morreu um menino de Manuel Andrade Oleiro. Na Egreja de Boliqueime, morreu muita gente e em Quarteira levou o mar tudo, afogando oitenta e sete pessoas, grandes e pequenas. A Câmara teve de fazer a sua sessão em uma casinha da Rua Ancha que foi de António Correia por não haver casa capaz em outra parte. E para que os vindouros conste o referido, mandaram escrever esta notícia, que todos assignam .——————————————————————————–
(In Monografia do Concelho de Loulé de Ataíde de Oliveira) –

Foto: Arq. Louletania ( Convento de Stº António -Loulé )

15 comentários a “Há 255 anos Loulé sofreu as agruras do grande Terramoto

  1. Sobre este assunto de interesse geral para o Algarve tirei do Observatorio do Algarve o seguinte:
    Sete falhas sísmicas activas no Algarve
    01-03-2006 22:27:00

    Vilas do Bispo, Aljezur, Portimão, Albufeira, Quarteira, Vale de Lobo, Almancil, Loulé e São Brás de Alportel são algumas das localidades atravessadas por falhas sísmicas activas.
    sismo.jpg
    Ver Galeria

    O diagnóstico consta da carta de risco sísmico elaborado no âmbito dos estudos do PROTAL – Plano de Ordenamento do Território, que identifica três níveis de falhas: as activas, as provavelmente activas e as secundárias.

    Consideram-se falhas activas as que possuem evidências de deslocamentos suficientemente recentes para que seja expectável a ocorrência de novos incidentes, num futuro relativamente próximo, que tenham impacto na comunidade.

    Já as falhas prováveis, ou potencialmente activas, são as que mostram evidências de deslocamento relativamente recente, mas para as quais não é possível aplicar, objectivamente, critérios de actividade.

    Em estudos de perigosidade avalia-se a capacidade dessas falhas para gerarem movimentos do solo, designados vibrações sísmicas fortes, ou seja, sismos de magnitude elevada, superior a 6 na Escala de Richter. )

    O que afinal todos sabemos é que estamos sujeitos à repetição de um
    tremor de terra semelhante ao de 1755. Quem está preparado ? Deus queira que não passe apenas de medo. Beto

  2. Penso que o tremor de terra sentido em 1969 se tivesse durado mais algum tempo seria uma espécie de 1755. A intensidade foi grande só que parou e foi a nossa salvação. Esperemos que a terra se mantenha calma nas suas profundezas. Lello

  3. Há 255 anos Loulé e o resto do país, sobretudo Lisboa passavam por um dia tenebroso.# O livro «1755 – Terramoto no Algarve» salienta o facto de que, tendo ocorrido numa altura em que se implantava o pensamento iluminista por toda a Europa, o Terramoto de 1755 constituiu um fenómeno ímpar, sobretudo mercê da projecção internacional que lhe foi dada.

    Todas as atenções sobre o terramoto estavam centradas em Lisboa, com excepção de alguns narradores nacionais que, devido aos seus contactos noutras regiões do país, tomaram conhecimento da verdadeira dimensão do fenómeno. Assim, para a Europa, o terramoto de 1755, tornou-se o Terramoto de Lisboa. (No Barlavento)

  4. Beto Lello e Julius obrigado por terem deixado comentários sobre esta tragédia ocorrida em 1755 e da qual temos todos algum receio de que se possa repetir. Bom feriado. Palma

  5. Este terramoro faz-nos lembrar o de Agadir nossa vizinha aqui do Norte de África.
    Agadir foi próspera durante dois séculos, mas em 1731, a cidade viria a ser completamente destruída por um terramoto.

    Mas foi em 1960, quando faltavam 15 minutos para a meia-noite do dia 29 de Fevereiro, Agadir foi novamente destruída por um sismo que durou 15 segundos, matando cerca de 20.000 pessoas. O terremoto destruiu a Kasbah antiga. No seu portão de entrada ainda pode ser lida a seguinte frase em holandês: “Temei a Deus e honrai o teu Rei”.

  6. Olhando essa data de de 29 de Fevereiro do terramoto de Agadir lembrei-me rápidamente do nosso tremor de terra de 1969 e que foi
    no dia 28 de Fevereiro pelas 2h 40 min tendo de magnitude 7,3 na escala de Richter, e o seu hipocentro sido localizado a Sudoeste do cabo de S. Vicente. O mês de Fevereiro parece assim talhado para este tipo de fenómenos.

  7. Tem efeito de catástrofe. Cuba tem de despedir uma milhão de funcionários ?
    Havana, 01 nov (Lusa) – O Presidente de Cuba, Raúl Castro, exortou hoje os dirigentes sindicais a explicarem aos trabalhadores a necessidade dos despedimentos e a não esconderem os profundos problemas económicos que o país atravessa.
    O que dirá o nosso Jerónimo de tudo isto ? L. Mario

  8. Tremores de terra, crises olhem só o que diz o Jornal de Noticias de Hoje ::::: A crise destruiu 30 milhões de empregos em todo o mundo, revelou hoje o diretor geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), que apelou, na abertura de um fórum em Marrocos, para que o emprego seja “a prioridade da nova globalização

    “O mundo perdeu 30 milhões de empregos por causa da crise mundial, e as estimativas para os próximos anos apontam para 400 milhões de empregos”, afirmou o diretor geral do FMI, Dominique Strauss-Kahn, no decorrer do Fórum Internacional do Desenvolvimento Humano, em Agadir, no sul de Marrocos.

    Segundo o responsável, citado pelas agências internacionais, “no quadro da nova globalização, a primeira prioridade é o emprego, a segunda prioridade é o emprego e a terceira prioridade é o emprego”.

  9. Palma,

    Já vem de longe a mania de que Portugal é Lisboa, e o resto é conversa!

    Ora vejam só, por exemplo em Loulé, as desgraças ocorridas com aquele terramoto e o pessoal, só evoca Lisboa, como se o fenómeno tivesse apenas causado danos na capital!

    Deve haver muita gentinha que desconhece a destruição a nível nacional que teve lugar.

    Li algures que, a violência do tremor foi até sentida na América!

    Que Deus nos guarde!

    Abraço
    César

  10. Palma; um terramoto pior está pra chegar… aconselho-o, (se puder), a armazenar umas sardinhitas em conserva pró que der e vier… ele provocará um tsunani de tal ordem que não haverá peixe fresco durante longo tempo… em terra, abrir-se-há fendas de tal amplitude que irão engolir todos os alimentos que fazem falta à sobrevivência humana… muitas vítimas cairão ao primeiro impacto, outras, sofrerão as consequências do “fenómeno” a médio e longo prazo… tudo isto me foi dito pela bruxa cá do bairro e irá acontecer em princípios de Março, felizmente, (segundo ela), eu vou sobreviver para contar como tudo aconteceu já que o de 1755 não sei de nada porque ainda não tinha nascido,rsrs. Estou um bocado assustado Palma, será que a bruxa acerta mesmo?… não é por nada, é que a reconstrução vai levar bastante tempo e como anda tudo a passo de caracol,rsrs. Inté. L.F.

  11. Cesar: Na verdade fala-se de Lisboa como se tivesse acontecido apenas aí, mas isso talvez se deva ao facto de se tratar da Capital e onde residia mais gente. O Algarve da altura ficou semi destruído. Temos por cá muito sol, boas praias mas também temos as tais falhas tectónicas que de um momento para o outro se podem «enfurecer». O Diabo seja então absolutamente surdo…rs. Abraço – Palma

  12. Luis: Não me fale em bruxas porque a televisão está cheia delas e para todos os gostos. Algumas disfarçadas de homens lançam raios e coriscos e bocas de charroco…rsss. O que vale é que eu vejo pouco televisão.\\ Agora esta da crise poder atingir os 400 milhões de desempregados é realmente assustador. Temos crise para o resto da vida ou então pode ser que seja uma noticia coo a da gripe de há dois anos em que os jornais diziam que parte da população mundial ía embora….Só sei que cada vez sei menos….. \\Vamos então a uma musiquita para arejar. Abraço – Palma

  13. Palma,

    Há sempre quem pense que, estas coisas só acontecem, muito longe de nós. Arrepia, pensar que, pode ser em qualquer altura.

    Luísa

  14. Luisa: Quando nas televisões nos passam imagens terríveis destas catástrofes na verdade pensamos que a coisa é lá bem longe quando tudo pode acontecer por cá onde as possibilidades são muitas. Oxala´que não ! Abraço – Palma

  15. Um pequeno parêntesis que não pôe em causa o conteúdo do artigo:
    A foto é de uma obra relativamente recente, embargada pela CML antes da conclusão.
    O sismo aconteceu um pouco antes (180 anos.
    🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *