Há cem anos roubaram a Mona Lisa

Na manhã de 21 de Agosto de 1911 um italiano de nome Vincenzo Peruggia passou à história como o homem que teve a coragem de roubar no Museu do Louvre o mais célebre quadro do mundo, “ Mona Lisa” .

Iludiu a polícia e manteve o quadro em sua casa durante dois anos. Julgado por crime de furto, a pena em que foi condenado ficou reduzida apenas a sete meses de prisão. Durante o julgamento Vincenzo Peruggia, alegou ter apenas cometido o crime por desejar devolver a Itália o célebre quadro de Da Vinci. Terá sido fácil roubar o quadro: a segurança era escassa, não estava preso à parede, o museu fechava às segundas – feiras e os funcionários estavam ocupados em limpezas. Mais: o ladrão, apanhado dois anos mais tarde terá escolhido o quadro pelos seus 53 cmx 77cm, que podia esconder sob o uniforme. Pelo caminho quando se deparou com uma porta fechada, pediu ajuda a um funcionário que assim o «ajudou» a consumar o roubo.

E quando o Louvre já tinha perdido as esperanças de reencontrar a obra (em Dezembro de 1912 ) penduram o retrato de Raphael no lugar de Mona Lisa, ele é encontrado em Florença.

O Marchand d’art Alfred Geri recebe uma carta de Paris assinada por Leonardo na sua loja de Florença: “Esta obra deve ficar em Itália, porque eu sou italiano.” Procura o director da Galeria dos Uffizi, Gioanni Poggi. No encontro cara a cara, Peruggia pede 500 000 Liras e entrega o quadro para ser autenticado no Museu de Florença. Foi preso logo a seguir e mostrou-e surpreendido por isso. \\.

Fonte : Diário de Notícias \ Artes

6 comentários a “Há cem anos roubaram a Mona Lisa

  1. Leonardo Da Vinci jamais deverá ter pensado que o seu quadro da Mona Lisa se transformaria no mais famoso do mundo. Maria ZZZ

  2. Acho um exagero a Mona Lisa estar encarcerada naquela montra no Museu do Louvre. Com as multidões que por ali passam, poucos são os que observam o quadro com olhos de ver. Helder

  3. O sorriso enigmático desta imagem é qualquer coisa de espantoso. Gostaria de vê-la de perto.

  4. Mona Lisa é um grande quadro. Já o Alberto Jardim também daria um belo quadro para que nunca esqueçamos o politico mais nojento de todos os tempos em Portugal.
    Entretanto o falso pintor de palavras ocas continua:
    “Dois meses depois de ter tomado posse, o Governo de Pedro Passos Coelho já nomeou quase 500 funcionários para o Executivo, com o gabinete do ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares a liderar a lista, com 65 elementos. De acordo com os dados disponíveis na sexta-feira, no portal do Governo, entre as 65 pessoas do ministério de Miguel Relvas, 15 foram nomeadas para o gabinete do ministro, e nove para o gabinete do secretário de Estado Adjunto do Ministro-Adjunto e dos Assuntos Parlamentares. Belo corte na despesa. Belo exemplo. Belo Governo que a Troika elogia sem controlar.”

    Xoca

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *