JOSÉ MARIANO UM LOULETANO NO CINEMA

Filmagens do Western realizado por José Mariano em Loulé

 

José Mariano com uma das máquinas que filmou " Matrix "

José Mariano nos tempos da sua juventude em Loulé

Nos idos anos sessenta a nossa pacata vila de Loulé vivia muito de longe, as novidades de uma época que noutros países fazia as delícias dos jovens que lá viviam. A música, o cinema e outras artes estavam em ebulição. Uma grande revolução comportamental teve início nessa década.

Por cá , vivíamos fechados ao Mundo e espreitávamos o que se passava lá fora através de alguns jornais, revistas e pouco mais.

O cinema foi das artes que desde o seu início mais apaixonou os jovens de todo o mundo.

Cá por Loulé, entre outras sociedades recreativas, o Sporting Club Atlético era a mais dinâmica, sendo que ali se reuniam jovens louletanos que levavam a efeito algumas actividades entre as quais uma secção de cinema. José Mariano era o dinamizador desse sector e o único que possuía e entendia alguma coisa sobre a arte de filmar. E assim, surgiu a ideia de rodar uma curta metragem em 8 mm. Um “Western” amador à louletana. A aceitação do seu grupo de amigos foi geral.

E é ele mesmo que explica:

Eu era o realizador, o Leopoldino o produtor, pois havia chegado da Venezuela e tinha condições económicas superiores às nossas. Assim, foi ele que financiou os filmes. A câmara era minha,os cavalos eram do meu pai e o o burro foi emprestado por um vizinho. O saudoso Manuel Pedro fazia de meu irmão. Quando fiz a edição do filme, juntei algumas cenas de outros filmes de Cow-Boys e a Vila de Loulé ficou intrigada sem saber onde tinha eu encontrado tantas vacas que aparecem numa das cenas do filme. A produção custou a exorbitante quantia de 380 escudos. É verdade que ao longo da minha vida colaborei em filmes de milhões de dólares como “ Matrix” , “ Moulin Rouge”, “Babe”, “ The Red Planet” e muitos outros , mas este filmezinho de 380 escudos rodado na minha terra, foi um dos momentos mais felizes da minha vida. “

 

José Mariano que vive há muitos anos na Austrália é hoje um profissional de cinema conceituado. É produtor de Televisão, correspondente da RTP naquele país e trabalha nos Estúdios da Fox em Sidney onde com a sua arte, quer seja de camera-man, produção de efeitos visuais ou ainda noutros sectores cinematográficos é um orgulho para a comunidade portuguesa e para as gentes da Terra de Loulé quer se encontrem aqui ou em qualquer outro lugar do mundo.

23 comentários a “JOSÉ MARIANO UM LOULETANO NO CINEMA

  1. Bom post este recordando momentos interessantes dos tempos em que um grupo de malta louletana dinamizava a vila de Loulé onde pra´ticamente a não ser os bailes das Sociedadess pouco mais havia.

  2. Não sou do tempo da rodagem desse filme mas fico contente por alguém de Loulé ser um profissional dessa categoria no Cinema Mundial.

  3. Um verdadeiro Galã o Snr. José Mariano. Para lá das suas feições cinematográficas ainda é um grande profissisonal em terras da Austrália. Que continue a representar a nossa terra com essa dignidade. Maria Jose

  4. Fui amigo de infância do José Mariano. E posso dizer que ele sempre foi, desde muito jovem, um adorador de cinema.
    Foi na casa dele que assisti aos primeiros filmes da minha vida. Cinema mudo. Especialmente de Charlot e do Bucha e Estica. No enorme quintal onde ele o pai dele tinha o célebre cavalo do “Chico Mariano” (todo o mundo levava lá a sua égua para ser “coberta” pelo cavalo) e onde tinha vacas num tempo que era possível beber leite directo da ordenha da vaca…Vinha quentinha e espumosa). Sabia que estava na Austrália. Provavelmente perto de outro nosso amigo o João José Silvestre Cabrita. Mas desconhecia o êxito cinematográfico dele. Foi bom ter lido este post porque frequentemente me lembro do José Mariano muito em especial quando falo de cinema. Se ele me ler…Um abraço para ele!!!

  5. Tal como o Jorge lembro-me do Mariano como o homem do cinema de Loulé. Era mais jovem mas morei para aquelas bandas e daí ouvir falar dele entre a maltinha daquela época. Fico muito contente por um louleano estar tão bem situado no cinema profissional.

  6. Não nasci nessa época mas fico muito contente por um louletano ter atingido um grau de profissionalismo como o JOsé Mariano.
    Bilinha

  7. Foi nesse filme que entrou o Tota, o Albano e a malta do Atlético ? Tenho uma vaga ideia de se falar muito nesse filme. Não sabia que o nosso ilustre conterrâneo estava tão bem situado no cinema. Parabéns.

  8. Parabéns ao louletano José Mariano pelo seu sucesso no cinema nesse grande país queé a Austrália e sobretudo em filmes que correram o mundo, como o Babe, Moulin Rouge e outros.

  9. Mais uma confirmação de como Loulé tem dado muito de bom ao mundo, através dos seus filhos!!! Parabéns a ele, aos amigos e a Loulé !!! ( que nem sempre reconhece … )

    Mais uma vez o Tó Clareza em grande!!! parabéns pelo post, e obrigada …. ah! eu reconheço o rosto dele em jovem!!!

  10. Caros amigos obrigado pelos vossos comentários. Já agora amiga Liliana agradeço sua visita e ainda bem que gostou do post. Pensei que já não se recordaria do J.Mariano dado que ele foi embora cedo mas de qualquer modo aqueles amigos do filme era comuns. Abraço. Tó

  11. Existem algumas imagens desse tal 1º filme rodado em Loulé pelo José Mariano e amigos ?

  12. O Zeca, ainda no berço já sabia o que queria ser profissionalmente, felizmente conseguiu e por isso o felicito.

    Quem o conhece, sabe que o Zeca desde miúdo sempre quis estar ligado à 7ª arte, era um fascínio natural que ele deixava transparecer numa altura que não haviam oportunidades nessa área, tanto mais para um natural e residente de uma vila no interior do Algarve, separada de Lisboa pela Serra do Caldeirão e o Alentejo por mais de 4 horas, sendo os transportes escassos. Unicamente o seu enorme gosto e persistência o levou a descobrir além fronteiras a sua oportunidade, desenvolvendo os conhecimentos necessários à profissão, acabando por se tornar um excelente técnico.

    Um grande BEM HAJA para ti, Zeca.

  13. Já agora, para quem não sabe, ainda nesta área, temos um outro louletano, mais novo, que também teve um início bem difícil, ausentando-se para os USA início da década de oitenta, é o Artur Ribeiro, filho do Dr. Teixeira Ribeiro, ex-conservador, com residência em Sta. Mónica e passagem por Hollywood e RTP.

    Na RTP, trabalhou na elaboração dos “Marretas”. Depois perdi-lhe o “rasto”.

    Porventura alguém tem informações mais recentes do Artur?

  14. É verdade que Artur Ribeiro também é um bom profissional mas há muito que não se vê. Estará nos E U A ?

  15. O Artur Ribeiro é um profissional com provas dadas. Penso que estará no Estados Unidos. Esperemos que que quando regressar nos mostre novidades da sua arte.

  16. Faz-me lembrar um pouco os dias de hoje, com a New Light Pictures, portanto este bichinho do cinema no concelho de LOULÉ NÃO É DE AGORA .só espero que estes de agora tenham pelo menos o mesmo sucesso e reconhecimento que este Louletano tem !

  17. Amigo Juvenálio…os tempos são realmente outros. Não há comparação com a época em que o José Mariano começou a filmar em 8 mm. Jamais nessa altura ele pensaria um dia trabalhar nuns estúdios como os da Fox em Sidney. Que os valores louletanos de hoje sejam reconhecidos ainda nos tempos de hoje. Abraço A. Clareza

  18. O Cinema é uma arte de martavilha. Como veríamos o passado (algum) se não houvessem imagens ?

  19. Parabéns ao louletano que venceu nesta arte em terras da Austrália. Aline

  20. Cá em casa também havia esse passatempo dos filmes de 8mm. Ainda guardo alguns. Depois vieram as câmaras de video e acabou a celulose.

  21. Bonita esta história de alguém apaixonadoi pelo cinema numa pequena vila do interior. Desejo-lhe muitos sucessos. Catarina.

  22. O Cinema é uma arte maravilhosa. Hoje o cinema feito em casa já é muito mais barato do que o de antigamente. Era só para ricos. Barto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *