Lá vai o Manel…….

Lá vai o Manel rua abaixo

rua acima,

faça chuva ou faça sol

lá vai ele, para a igreja.

Toca o sino,

o grande e o pequenino.

E toca diferente, este Manel,

como grande regente de uma orquestra,

lá no alto, lá tão alto…

E a gente escuta das nossas janelas,

o talim talão, talim talão…..

Seja baptizado,casamento ou funeral

ele toca diferente com um grande regente

de uma orquestra de sinos…..

grandes e pequeninos….

E sente-se um Rei….lá em cima ,

no alto do campanário.

De lá, até onde a sua vista alcança, os ares

estão cheios de música dos sinos…grandes e pequeninos

do maestro Manel.

 

(poema de autoria de um louletano que se intitula poeta de fim de semana )

………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Esta imagem de autoria de Luís Furtado que retrata o “ Manel”, louletano e mestre na arte de tocar os sinos e outras, como a da “baracinha” é sem dúvida uma recordação para muitos que ao longo de anos aprenderam a gostar desta figura simples da terra louletana.

Muitas foram as vezes que escutei e apreciei a desenvoltura e a arte com que o Manel tocava os sinos da velha Igreja de S. Francisco na freguesia de S. Sebastião de Loulé.

Palma

 

 

10 comentários a “Lá vai o Manel…….

  1. Conheci perfeitamente. Era um homem simples como a simplicidade com que fazia a sua baracinha de dia e de noite.

  2. Manel da Baracinha com quem tantas vezes conversei. Era apesar de tudo um homem que para além da sua arte ajudava a animar os dias de Loulé com os seus ditos e as suas brincadeiras. Maria Jose

  3. Verdade mesmo…quem não se lembra dele…?
    Era feliz á sua maneira, sem preconceitos nem vaidades, desde que tivesse palma para fazer sua baracinha estava feliz.
    Pode não ter feito muita coisa…contudo quem não se lembra dele hoje??? e, isso sim é o mais importante em nossas vidas deixarmos nossa lembrança que nunca morre……
    Cid…

  4. ESTE ASSUNTO NÃO TEM A VER COM ESTE POST MAS É IMPORTNTE. VEJA ESTA ENTREVISTA NO JORNAL I:

    E que tem a dizer àqueles que acreditam no amor eterno?

    Ah, isso é pau para boi dormir. Papo furado, sentença judicial. Se eu tivesse que aguentar 30 anos uma pessoa do meu lado, me suicidava. É um negócio. A Igreja criou o casamento para destruir o amor. As pessoas viram propriedade uma da outra. O casamento é das coisas mais hipócritas que existem e quem está não sabe. E não é só o casamento formal, muito casamento informal se está transformando nisso. Às vezes a gente ama alguém e de repente deixa de amar – tu não sabe quanto tempo vai durar. A primeira vez que me separei eu sentia que nunca mais ia amar alguém e foi duro para caramba. Mas depois voltei a amar várias vezes. Acho que uma pessoa para ser completa tem de experimentar alguns amores.

    Leia o resto. É muito interessante – Zeca

  5. Já há muito que não via uma imagem do Manel da Baracinha. Fico contente por relembrar essa figura louletana tão humilde mas bem actuante no meio.——-Quanto ao comentário anterior do Zeca Rodir acho que tem razão nalguns pontos, mas cada um sabe de si. Emanuelle B.

  6. Durante a minha juventude haviam imensas figuras humanas em Loulé que nos chamavam a atenção pelas suas supostas diferenças.Uma destas símbolo e imagem de ternura de Loulé era o Manel. Distribuia sorrisos e gestos muitas vezes incompreendidos, mas também sons,simplicidade e ingenuas atitudes.Viverá na memória dos tempos e na história de Loulé muito mais do que alguns, arrogântes que usaram e abusaram do poder e da ostentação afinal agora absoleta. Gostava de ver um dia destes alguém ter a coragem de por o seu nome numa rua ao invés de desconhecidos e de dúbia reputação.

  7. Conheci o Manel. Figura carinhosa dentro da sua simplicidade. Os sinos não tocaram mais como ele os fazia tocar.

  8. Manel da Baracinha era um artista como poucos. Ainda assisti algumas vezes ao tiocar dos sinos na Igreja da Matriz. Subia l´em cima assim como muita outra malta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *