Letra Q do nosso abecedário – Quarteira

Vista de Quarteira

Vista de Quarteira

Camioneta da época que nos levava até Quarteira

Camioneta da época que nos levava até Quarteira

Janita Salomé num concerto em Quarteira

Janita Salomé com o seu conjunto na esplanada de Quarteira

QUARTEIRA A BELA PRAIA PISCATÓRIA

Dificil seria encontrar neste dicionário da Louletania uma palavra para a letra “ Q “que tanto tivesse a ver com os louletanos. Segundo “ Os Quadros de Loulé Antigo”: “Carteias e Citânias eram nomes em tempos remotos dados a povoações situadas no litoral . Quarteira deverá ser uma dessas Carteias que se espalharam por diversos sítios. A sua implantação no litoral, mesmo a beijar o grande Oceano, assim deve ser. A dois quilómetros e meio a nascente de Quarteira, e que se conhece pelo nome de Loulé Velho, aí existem umas ruínas que, segundo históricos documentos, são da época vivida pelos romanos. As ruínas do castelo algo atestam. Em 1266 já a realeza falava, em documentos oficiais, em Quarteira. Este nome está ligado à capital importância do nome atribuído à Quinta de Quarteira e à Fonte Santa, pelas excelências das suas águas que o povo atribui de miraculosas. Quarteira já perdeu aquele aspecto de pequenez e pobreza para vestir, airosamente um rico e luxuoso fato bem talhado e muito bem aplicado ao seu caminhar pela via do progresso e à conquista de Vila. E quem sabe? Esse caminhar não poderá , um dia, conquistar o tom Maior de Cidade ? O ar…os Banhos tudo poderão conquistar!”

Assim escrevia Pedro de Freitas há algumas dezenas de anos atrás.

Quarteira não é mais a típica aldeia piscatória que muitos de nós ainda chegámos a conhecer. Tal como as outras terras à beira mar algarvio a velha praia dos louletanos não «resistiu ao progresso» e é hoje uma cidade cosmopolita do século XXI.

\\\\\\\\\\\\\\\\

As fotografias que publicamos e extraídas do Blog – “Fotos – Quarteira – com.”- mostram um aspecto da antiga aldeia de pescadores ( anos 50 ??) e uma das camionetas da Empresa E.V.A. que fazia as carreiras de passageiros Loulé – Quarteira, possívelmente na mesma época.

A outra, ( de autor que desconheço) mostra uma actuação do Conjunto Planície de Évora, cujo vocalista na altura era o grande cantor de hoje, Janita Salomé. Naturalmente que a dita fotografia foi obtida na antiga Esplanada de Quarteira, local onde durante as noites de Verão se realizavam bailes, acontecimento artístico praticamente único, já que pouco mais havia além dos cafés onde se reuniam os amigos e forasteiros de férias.

Texto: Palma

29 comentários a “Letra Q do nosso abecedário – Quarteira

  1. Bom dia Palma; cá estamos mais ou menos… estou a aprender uma grande lição de vida… aquela que me pegou nas mãos para dar os primeiros passos, precisa das minhas para os seus últimos, são os 91 a pesarem e pouco mais há a fazer neste sentido.\\\\ Ir no meu tempo de camionete a Quarteira era um “luxo”, ou ia na pendura de uma carroça ou ia a pé, e era se queria molhar o rabiosque… outros tempos… quem tem um quadro meu com barcos e pescadores da época, é o “velho” Isidoro que tinha uma pensão e um mini museu com peças do campo e outras junto à dita… já deve ter desaparecido tudo, nunca mais vi o quadro já lá vão mais de quarenta anos. Sou do tempo em que cheguei a acampar em plena praia, era um autêntico “deserto”, era toda minha… agora Quarteira está transformada numa autêntica Babilónia, para mim, só em Junho, mesmo assim… Inté L.F.

  2. Quarteira, aquele frenesim em Agosto….no outro dia estive lá à noite e parecia que estava numa qualquer rua do Porto tal era a quantidade de “bimbinhos” que se passeavam desenfreadamente para cima e para baixo no calçadão…eheh.O que lamento é a construção totalmente desregulada que por lá se tem praticado tornando-a uma aberração à beira mar plantada, sem charme nem respeito pelo pacato mar algarvio que assim fica reduzido a um mísero areal apinhado de gente…enfim.Ir para Loulé Velho é uma boa opção para escapar à confusão da praia de Quarteira propriamente dita.Um abraço desta bimbó-algarvia adoptada.Ju

  3. Cada um de nós tem uma visão de Quarteira consoante a forma como a vimos crescer. A Ju tem razão quando diz da desordem que ali se vê. Falta-lhe a harmonia, mas o Turismo trouxe coisas boas e más. E ali está hoje a Quarteira não a dos tempos do Luís Furtado , que eu nunca conheci pois nasci mais tarde. Boas férias para quem ainda as tiver de gozar.

  4. Quarteira sofre do mesmo mal que muitas outras praias. Um crescimento desmesurado. Não é lugar para onde vá passar férias.
    De qualquer maneira tem praia que chega para todos.

  5. Luis: Ainda bem que está disposto a receber essa lição de vida pois há muito quem dela fuja. Aqueles que nos pegaram ao colo e que nos criaram podem um dia caír nos nossos braços como é o que está acontecendo consigo. Que a situação se resolva o melhor possível.\\\ A sua história de Quarteira é naturalmente a de muitos louletanos da sua geração. Hoje pode parecer brincadeira mas a realidade foi essa.\\ Quanto ao Snr Isidoro homem por demais conhecido naquela terra há muito que não o vejo. Pode ser que o seu quadro tenha sido guardado apesar das mudanças havidas com a mudança de espaço desde há muitos anos por aquelas bandas. Abraço – Palma

  6. Amiga Ju: Uma nova algarvia adoptada. És sempre benvinda a este espaço da Louletania para contar coisas de cá ou de lá. Como quiseres. Quanto à praia de Quarteira pena é que ao longo destas últimas décadas não tivesse havido um plano que não deixasse desfigurar a bela aldeia piscatória sem porém a deixar de a modernizar. Ninguém trava o tempo. Mas podem-se travar alguns erros quando se mete mãos a novas obras. Continua então ouvindo a passarada no silêncio das noites quentes da nossa serra. Abraço amigo. Palma

  7. Anita e Zorba. Cada um de nós consoante a idade viu crescer Quarteira de determinada maneira. Há muita gente que contesta o seu crescimento daquela forma. Os tempos da Quarteira pobrezinha já lá vão. Ainda bem que é hoje uma terra próspera. O que faltou ali e foi erro de toda a gente foi um bom plano de crescimento em consonância com a típica aldeia que conhecemos. Palma

  8. A foto mostra o Conjunto Planície nos anos sessenta quando animava as noites de verão na Esplanada de Quarteira. O Vocalista era o Janita Salomé, o viola o Abílio (já falecido) mas dos outros dois elementos não me recordo dos seus nomes. Quem se lembra ?

  9. É Palma … como esse postal me traz boas recordações … e é essa Quarteira que continuo a guardar na lembrança … a camioneta? claro! quase um dia inteiro pra chegar lá … 🙂 … bem … da esplanada então … se bem me recordo, o único que não fazia parte na banda da familia Salomé Vieira, era o Abílio … o da bateria é o Zé, irmão mais velho do Janita, e nas teclas será o Manel? também costumava cantar … mas não me lembro bem, penso que ele, o Manel tocava viola … posso tirar isso a limpo … o Pedro deve saber … O Palma tá a ver, nós esperávamos que o Janita acabásse de cantar, por volta das 3 da madrugada, íamos a casa buscar chouriça e pão caseiro e fazíamos picknic nessas ruas do postal … .Víamos os pescadores irem e virem do mar … Enfim … tudo passa né? Abraço

  10. Os Louletanos e o Mar de Quarteira. Sem dúvida Quarteira é o Mar de Loulé! O Mar que os louletanos desejavam ter ao alcançe – ao pé da porta! Que maior pesadelo pode atingir os louletanos que a possibilidade se verem atribuído um Município a Quarteira? Quanta memória então ficaria reprimida? Harmonia e trabalho conjunto faz falta para que se viabilizem as duas Cidades! Quanto da decisão eleitoral próxima passa por Quarteira? Terão os louletanos amado ou usufruido de Quarteira?
    Estas são dúvidas e questões que me ocorrem sobre o tema em debate. Eu que tenho pena de não ter conhecido essa Quarteira de que vocês falam, embora tenha conhecido outra diferente da presente e tenha para lá ido na carreira que parava em frente do Mercado do peixe, frequentado a Esplanada e usado os Balneário junto ao Triângulo!

  11. Quarteira desses tempos não conheci mas a Quarteira de hoje sem a miséria antiga é bem melhor. O que afinal os homens não souberam guardar foi o característico da paisagem que no fundo é bem importante para a vida de todos nós.

  12. Lila: Se a gente se lembra da praia de Quarteira de então. Sem as multidões de hoje a acotevelarem-se e com um sossego próprio da época.\\ Quando acabava o baile na Esplanada continuava o convivio de outra forma com uma petiscadela e uma boa conversada. Quando se tem 17 ou 18 tudo é diferente mesmo vivendo numa época de proibições como era aquela. \\ Acho que o Pedro pode deslindar o nome do resto do pessoal do Planície. Uma boa tarde. Palma

  13. Almeida: Uma boa proposta para este post. O que pensam os louletanos de Quarteira do passado e de hoje.\\ Afinal ainda viveste aqueles momentos de que falámos mas um pouco mais tarde já que a coisa durante muito tempo não teve grandes mudanças. Só depois do 25 é que se deu a grande transformação de forma lenta até ao que é hoje com as coisas boas e más que as transformações nos trazem. Se alguém quiser expressar a sua opinião faça favor. Palma

  14. Foram sobretudo os louletanos que fizeram Quarteira. Não nasci nem em Loulé nem em Quarteira mas acho que está por demais à vista. Não é injusto dizer-se isto.

  15. Como Quarteirense acho que a minha terra já devia ser Concelho há muito tempo. Não consigo perceber porque há uma tão grande oposição a essa concretização. O actual Presidente Seruca também o defendeu mas está esquecido. Talvez porque agora está no poder e não na oposição. Toda a gente proclama por indepedência em todo o lado porque é que Quarteira não tem direito à sua independência ?


  16. Como sabes desde bé-bé que fui para Quarteir!Era a melhor praia do mundo!Tenho estórias que dão para escrever um livro!Entretanto fui para a tropa e quando voltei em 74 Quarteira tinha perdido todo o encanto!Foi uma profunda desilusão!
    Deixei de ir para e a Quarteira!Tenho lá casa que a família do Alentejo aproveita!Eu prefiro a serra algarvia!
    Abr
    Pedro

  17. Caro Pedro Cabeçadas: Tens razão .Quarteira de hoje nada tem a ver com a Quarteira desse tempo. Pacata aldeia de pescadores onde depois de um dia de praia a malta passava parte da noite na Esplanada que era realmente o ponto de encontro do pessoal que
    gostava de ouvir ou dançar ao som do Planície e outros. Acredito que tenhas montes de estórias para contar já que foram muitos anos que por ali andaste. Poderemos aqui recordar um dia destes uma ou outra dessas estórias mais interessantes. Abraço e até sábado.

  18. Bom dia Palma; cá vamos andando.\\\ Esqueci-me de dizer-lhe que aqui à uns anos, (não muitos), falei com o Isidoro, segundo me disse ainda tem o quadro em seu poder, dele, só tenho na memória que foi feito muito a correr, pode ser que ainda o veja quando for a Quarteira… naquele tempo, as minhas férias era ajudar os pescadores a decorar os barcos, arranjei grandes amizades, petiscava com eles, e guardo como recordação duas grandes buzinas que me ofereceram… qual jovem pintor da grande Cidade qual quê… confraternizava com trabalhadores como eu e com uma vida muito mais rude que a minha. Saúde e Inté. L.F.

  19. Bem … nem tudo é mau em Quarteira … progresso sempre tem pros e contras. Gosto do calçadão, da praia em si … e pouco mais 🙂 … e das memórias que são boas … Então até sábado 🙂

  20. Luis: Fui apanhar um calorzinho a C. Branco porque aqui em baixo estava um pouco fresco…trssss. Daí a minha pequena ausência.\\ Há muito que não vejo o Izidoro mas se lhe disse que ainda tem o quadro é porque certamente pensou que valia a pena ser guardado.\\ E ainda bem. \\ Será que os desenhos dos barcos agora serão decalcados e comprados nas lojas chinesas rsss. Então e o problema da sua mãe está resolvido ? Abraço – Palma

  21. Liliana: Não tenha dúvida que progresso sempre tem prós e contras. E com Quarteira é exactamente isso que aconteceu. \\ Das memórias não se fala. Até porque só se tem dezoito anos uma vez na vida rssss. Então sábado estará no almoço da rapaziada kingalheira ? rsss. Espero que se possam recordar bons momentos já que os maus ninguém se recorda… e ainda bem. Abraço – Palma

  22. Cuidadinho com a gripe. Onde há enchentes de gente evitem tocar nas bebidas dos outros ou mesmo em toques mais próximos entre pessoas desconhecidas. Desinfectar as mãos logo que chegar a casa. Há por aí gente que pode contaminar e nem sequer o sabe.

  23. Venham ao Crato ver o Kusturika. Quase de borla. Espectáculos maravilhosos. Até os velhos Animals estão cá. Crato no Alto Alentejo é que é bom. Gastronomia da melhor. Descontos para os residentes da terra. Um sucesso todos os anos. Vocês não sabem o que é bom. Solman

  24. Ai Quarteira….. eras miserável mas tinhas alguma beleza que se perdeu com a modernidade parola. Foi pena.

  25. Quarteira daquele tempo era uma pacata aldeia algarvia mas se calhar com outra tranquilidade . Mas o tempo e as coisas mudam todos os dias. Rodrigo

  26. Havia uma marcha do Conjunto Planície dedicada a Quarteira. Quem a saberá ? Maria

  27. Passei três ou quatro épocas de verão nessa praia de Quarteira. Como deeve estar diferente nos dias de hoje. Maria Amália

  28. É natural que grande parte da miséria que existia desapareceu. Pena foi a construção desalmada e sem graça que os arquitectos impuseram na altura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *