Letra T do nosso abecedário – Teatro Análise de Loulé

Peça " O Marinheiro "

Peça " O Marinheiro "

Peça " A nova história do João Ratão "

Peça " A nova história do João Ratão "

Peça " Euro Festival da Cançanita "

Peça " Euro Festival da Cançanita "

TEATRO ANÁLISE DE LOULÉ

Surgiu em 1983 após um curso de Iniciação Teatral promovido pela CMF com o Grupo de Teatro Laboratório de Faro .

Um grupo de admiradores da arte de Talma, louletanos, aproveitaram na altura os excelentes conhecimentos que lhes foram transmitidos por actores profissionais, professores e técnicos relacionados com o teatro e durante meses, trabalharam árduamente conseguindo no final do tal curso, resultados muito positivos.

Após o término desse Curso de Iniciação Teatral ,os jovens louletanos foram convidados pelo Director do TLF, Dr. Luís Aguilar, para integrarem a Companhia, (única profissional do Algarve) o que levou ao rubro os actores de Loulé. O poder integrar uma Companhia Profissional de Teatro era como uma dávida do céu para quem pouco tempo antes não tinha tido quase nenhumas oportunidades nesse campo.

Depois de participarem em várias peças encenadas pelo Dr. Luís Aguilar, voltaram a Loulé onde formam então a Companhia de Teatro Análise, sediada na Casa da Cultura. E desde então, muitos foram os espectáculos encenados e interpretados por este Grupo, que cada ano se renova, já que há muitos jovens interessados em iniciar-se nesta tão antiga arte e que encontram aqui as portas

abertas para essa iniciação.

Neste momento o TAL, tem disponíveis três espectáculos que são: “ O Eurofestival da Cançanita Louletana” de António Clareza; “ O Marinheiro” de Fernando Pessoa” e uma peça infantil intitulada “ A nova história de João o Ratão” também de autoria de A. Clareza.

Assim, aos interessados em qualquer doestes espectáculos solicitamos que contactem a Casa da Cultura de Loulé.

Texto: Palma

29 comentários a “Letra T do nosso abecedário – Teatro Análise de Loulé

  1. Parabéns ao Teatro de Loulé. A Casa da Cultura de Loulé foi fundada pelo vosso Grupo de Teatro ? Estavam aqui a dizer-me que alguns elementos quando vieram do Teatro de Faro fundaram a Casa da Cultura com a ajuda da Sociedade do Ateneu. Luz

  2. Luz: Há aí um equívoco. O fundador da Casa da Cultura foi o Professor Joaquim Vairinhos com alguns amigos louletanos tendo sido ele o 1º Presidente da dita .
    A casa da Cultura comemorou 30 anos de existência este ano no 25 de Abril e o nosso Grupo de Teatro só se formou mais tarde.
    De qualquer modo a CCL está viva e recomenda-se. Abraço -Palma

  3. Lembro-me perfeitamente de que o Professor Vairinhos, o Prof. Gentil, o Paulino, a Amélia Matos Lima e outros foram os grandes impulsionadores da Casa da Cultura que nessa altura existia num barracão nas traseiras da Escola Conde Ferreira destruída mais tarde a mandado da Drª Isilda Piriquito que era vereadora ou Directora do Arquivo Historico numa vereação do PSD. Já lá vão uns anos. Ainda bem que se mantem a Casa e o grupo de Teatro que tão bons momentos tem oferecido aos louletanos e outras gentes.

  4. Para os que não conhecem bem a história quero dizer que no meu comentário anterior quando digo que ainda bem que se mantem a casa quero dizer que ela se mantem não no espaço onde nasceu e que é hoje a Cerca do Convento mas no Edifício Duarte Pacheco que por ironia do destino foi mandado recuperar e ali colocar a Casa da Cultura e a Assembleia Municipal outra vez, pelo Professor Vairinhos. Apesar do espaço a meu ver ali ser mais apertado mas tem realmente outra dignidade. Saudações de quem já fez uns teatrinhos em tempos ido. Ana

  5. Uma Companhia de Teatro Amador com três espectáculos em carteira é de se lhe tirar o chapéu. O último que vi ” Festival da Cançanita” merecia ser resposto. A malta ía lá de novo. Aguardemos.

  6. Bonito mesmo.
    Tudo o que fazem é feito com muito carinho. Parabéns a todos os que fazem parte deste excelente grupo.
    Ao Sr Clareza um grande abraço e que os sucessos continuem.
    Mereciam mais apoios das entidades competentes.
    A música Esta Terra de Loulé não está esquecida, até me arrepiei quando foi tocada por cerca de 160 músicos no dia da geminação da Artistas de Minerva com a Banda de Punta Umbria.
    Foi precisamente a Casa da Cultura de Loulé a grande responsável pela amizade entre estas duas Bandas Filarmónicas.
    Continuem com o vosso grupo de teatro pois Loulé merece ter um grupo com o nível do vosso.

  7. Parabéns a todos vós e às boas vontades amadoras por tão nobre arte. Quando precisarem de cenários digam que eu conheço um rapaz com um certo jeito prá pintura, (que por acaso até é Louletano, e que de vez em quando até anda desempregado) bem pode dar um jeitinho à malta não cobrando qualquer honorário… o “João Ratão” dará todas as referências da seriedade e honestidade deste vosso conterrâneo. E viva o teatro. Assinado, o amigo do Pintor,rsrs. L.F.

  8. Meus caros; falar do TAL sem falar do Tó, apesar da sua rebeldia criativa (sim que o Tó cansa-se de fazer e dizer sempre o mesmo), é crime de ignorância ou desconhecimento total daquilo que na arte de representar se faz em Loulé!
    O Tó mexe em tanta coisa e com tanto amor que apresenta trabalho virtuoso na humildade de um amigo sincero, bom ouvinte, que quando afirma pede licença… Gosto do Grupo, gosto da CCL, mas fico desconcertado com o génio do Palma!
    Boa noite e longa vida para a CCL e suas cenas.

  9. Caro amigo e Maestro L.Branco: Ficamos sempre sensibilizados quando pessoas como é o seu caso. um homem dedicado de alma e coração à música nos dão uma palavra de afecto sincero. É que há muita gente que não reconhece por vezes o trabalho dos amadores.
    \\ Ainda me recordo da tarde em que a Filarmonica Artistas de Minerva com a Filarmónica de Alcacer do Sal (salvo erro) interpretaram em conjunto e pela 1ª vez a minha humilde marcha/hino graças ao seu interesse. E eu que sou um pouco virado para a lagriminha só não chorei desalmadamente porque fiz um esforço enorme para evitar… rsss.\\\ Quando da Geminação das vossas duas bandas certamente não estava cá pois não soube da geminação. Um obrigado e desejo igualmente à vossa/nossa Banda de Loulé os maiores sucessos. Palma

  10. Luis Furtado: Conheço perfeitamente o tal rapaz com jeito p’ra pintura e sei que ele apesar de às vezes ter em mãos projectos de grande dimensão está sempre disponível para uma ajudinha ao pessoal da sua terra. Eu sei. E só tenho a agradecer essa boa vontade e amizade em nome dos que fazem o Teatro Análise de Loulé desde 1983. Palma

  11. Amigo Almeida : Não sei como vou conseguir dormir esta noite rssss, depois de todas estas palavras elogiosas e amigas, dirigidas à minha pessoa e ao grupo de que faço parte. Como sempre tenho dito sou um amador que tenta dar o seu melhor dentro dos limitados conhecimentos adquiridos ao longo destes anos. É bom estar com toda aquela malta do TAL porque fazem teatro com o coração e o sacrifício de muitas horas tiradas ao seu lazer. Mas como se costuma dizer, quem corre por gosto não cança. Vamos pois caminhando umas vezes e correndo outras. Abraço amigo Palma

  12. O Teatro está vivo em Loulé e isso é de saudar. Pessoas de gerações diferentes a fazer trabalhos de géneros diferentes não é tão comum assim. Que sobrevivam e continuem a dar à terra o vosso contributo cultural por muitos anos.

  13. Eu fui dos que assisti às primeiras reuniões do Professor Vairinhos, Professor Gentil, Paulino e esposa e outros de que neste momento não recordo os nomes para a fundação da ASPROCA. Só depois é que veio a Casa da Cultura.A partir de certa altura foi outra geração que tomou conta da Casa e muito bem. Lugar aos novos sem desprezar os mais velhos.Sempre.
    Nostalgia

  14. Loulé tem muito de que se orgulhar … o TAL é uma … e o TAL tem, entre muito boa gente, alguém muito especial … não Luis … não é o João ratão … é o tal que responde por Clareza.

    Conhece Palma? Um muito bom fim de semana … eu daqui a pouco marcho de novo até à santa terrinha pra festejar os 80 anos dum tio. Abraço

  15. Lila: Em primeiro lugar espero que esteja tudo a correr pelo melhor já que a vida é feita de alguns atropelos, alegrias e outras coisa mais rss. Obrigado pelo TAL e pelo que me diz respeito. É bom ter amigos. É bom fazer coisas que nos alegrem a nós e aos outros, claro.\\ Um abraço ao jovem seu tio nestas suas 80 voltas ao calendário. Abraço amigo e até mais tarde. Palma

  16. Nostalgia e Zara. O Grupo de Teatro cá da terra tem feito ao longo destes anos teatro que pretende chegar a todas as camadas. O mias sério e as comédia loucamente saudáveis. Abraço – Palma

  17. Palma, a Lila não lhe escapa nada, mas quem é que não conhece o autor “João Ratão” entre aspas?rsrs. Já que estamos a falar de teatro, estou a ficar charingado, (não é preciso aspas por ser um termo dos Mouros,) com alterações não programadas. Espero que a vossa companhia não sofra desta maleita. Ainda não é desta que o Museu vai abrir… ainda gostava de saber porque é que, os nossos números não saem?rsrs. Tudo de bom por aí. Vou descansar a ver se o Ronaldo sempre leva traulitada. Inté. L.F.

  18. Luís: Esse pelo jeito é um mal geral a não ser que haja mesmo uma data oficial por qualquer comemoração que tenha de ser cumprida.\\ Já viu que a Lila tem melhor olho do que o Lince da Málcata ? \\ Quanto aos números da sexta à noite nem um que acertei. Mas a gente não desiste. O Museu, Galeria, atelier e auditório têm de ir para a frente nem que a gente tenha de jogar por mais 80 ou 90 anos rsss. ( Vai esperando )
    Abraço – Palma

  19. O que eu ri com os apresentadores da Cançanita. Espero que voltem ainda à cena mesmo na vossa pequena sala da Casa da Cultura. Não deixem de o fazer. Fox

  20. Ju e Fox iremos fazer os possiveis por trazer ao público, de novo, o Festival da Cançanita. Obrigado em nome de todos os que a fazem.Eles realmente estão brilhantes rss. Palma

  21. Gostei do espectáculo do Marinheiro embora seja um texto um pouco complicado para pôr em cena. Para um grupo amador estava muito bem. Acho que devem dar ao público vários estilos diferentes sabendo-se no entanto que as pessoas gostam de coisas mais leves.

  22. Nilton : Tem razão, o Marinheiro do grande Fernando Pessoa é uma peça difícil e não têm sido muitas, as encenações da dita. a Manuela Gordo, a Ana Rita Correia ,a Graça Emídio, Susana Viegas, Mariana Teiga e J. Teiga foram felizes com este espectáculo. Palma

  23. O Luis Aguilar do ex Teatro Laboratório está em Portugal ? E a mulher a Isabel Pereira ? Assisti a alguns bons espectáculos com vocês. O D. Sebastião, a Femina e outros. Grandes momentos e boas recordações.

  24. O Luis e a isabel vivem no Canadá, e estão separados. Quem gostaria de saber deles?

  25. Amigo Xeriff é como o D. Sebastião diz. O casal seguiu percursos diferentes embora residam no mesmo país. Foram duas pessoas importantes na fundação do Teatro Laboratório de Faro de boa memoria. Quem por lá passou sabe que ali não se brincava ao teatro apesar das dificuldades monetárias. Seriedade e vontade de fazer o melhor, diga-se de passagem com muito sacrifício dos actores de Loulé que após o trabalho seguiam na camionete para Faro e dali saíam muitas vezes 2 ou 3 horas da madrugada. Mas o prazer compensou o esforço. Assim fosse tudo na vida. Palma

  26. Bom dia!
    Antes de mais, parabéns por tanta energia 🙂
    Escrevo para saber se se está a organizar algum curso de teatro?
    Obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *