LUCIEN FREUD – 1922 – 2011

Considerado um dos maiores artistas contemporâneos, o britânico fazia uma pintura figurativa realista, em que se destacavam os retratos, muitos deles nus. Morreu em Londres aos 88 anos.

 

Uma mulher gorda, nua, dormindo no sofá. Uma pintura carnal, como eram as suas pinturas. Este quadro de Lucian Freud foi vendido em 2008 por vinte e cinco milhões de Euros e tornou-se a obra de arte mais cara de sempre de um artista vivo. “ Quero que a minha pintura funcione como carne. Para mim, a pintura é a pessoa”, dizia o artista. O pintor morreu em sua casa, na sequência de doença. Tinha 88 anos “ Vivia para pintar e pintou até ao dia da sua morte, completamente afastado do ruído do mundo da arte”. Dava poucas entrevistas e não tinha telefone no seu estúdio, onde deixou várias obras por concluir. Neto do psicanista Sigmund Freud, o artista nasceu em Berlim, em 1922, numa família judia que se mudou para o Reino Unido em 1933. Freud dizia que todo o seu trabalho era autobiográfico. Pintava auto-retratos, a família, os amigos.” Pinto as pessoas de que gosto e que me interessam e penso nos sítios onde e que conheço” explicou. A vitalidade dos nus de Freud, a intensidade das naturezas mortas e a presença dos retratos de família e dos amigos garantem a Lucian Freud um lugar único no panteão da arte do final do século XX” afirmou o Director da Tate Galery, citado pela BBC online.

Lucien Freud raramente aceitava encomendas. O seu trabalho está em inúmeras galerias espalhadas pelo mundo, mas a maioria pertence a particulares.

Fonte: Diário de Notícias

4 comentários a “LUCIEN FREUD – 1922 – 2011

  1. Quando ele pintou o retrato de Isabel Segunda de Inglaterra muitas foram as vozes que se interrogaram sobre se teria sido o artista ideal para pjntar sua majestade. O que é certo é que Isabel II mostrou estar além dessas questões de lana caprina.
    Foi um grande pintor no seu género. Dina

  2. Vinte e cinco milhões de Euros por um quadro é qualquer coisa de espantoso. Afinal este era um homem só. Sem telefone sequer no seu atelier, sem entrevistas nem jantaradas. Morreu o artista. Viva a sua obra. José Caleff

  3. Não conhecia o artista em questão mas fiquei agora a ser fã já que estiva a espreitar ao seu blog oficial.
    POr cá os artistas da politica tratam-se bem com o numero onze. Vejam

    O número 11 é sagrado: 11 ministros; 11 motoristas para o 1º Ministro; 11 gestores da CGD; Tudo inspirado no futebol, claro!

  4. Tive o prazer de ver em Londres numa exposição vários quadros seus. Foi realmente um grande pintor. E para a Rainha o escolher como seu retratista é porque é mesmo o que se diz dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *