Maluda \ pintura sempre viva

“Vim do Oriente, onde nasce a luz; passei por África, onde aprendi a amar a vida; cheguei à Europa, onde estudei pintura na cidade das luzes; depois fixei-me em Lisboa. Gradualmente refiz o percurso labiríntico em direcção à luz. Cada passo revela, à sua maneira, esse jogo de sombras e de luz que é a vida e a morte, a sabedoria e a ignorância. Eu pinto. É uma aventura que não troco por nenhuma outra.”

Maluda
Revista Galeria de Arte, nº 5, Julho/Agosto de 1996 – In pág. Maluda

Faro óleo sobre tela 1976

Loulé - óleo s/ tela - 1976

14 comentários a “Maluda \ pintura sempre viva

  1. Sempre gostei das pinturas de Maluda embora não seja um entendido nesta matéria. Mas os meus olhos gostam disto. Logo para mim foi uma grande pintora.

  2. Milene e Luisa: Descobri que a Maluda tinha bastantes quadros alusivos ao Algarve, a maioria de Olhão e percebe- porquê.As açoteias….\\Um bom fim de semana apesar do cinzento do céu. ~Palma

  3. Não sou grande apreciadora deste estilo mas reconheço que inovou. Maria Clara

  4. Reno, Zinato e Maria Clara…. Maluda e a sua pintura é afinal como a dos outros pintores. Uns gostam e outros não. Desnecessário será dizer que eu sou do grupo dos que gostam…rs Boa semana. Palma

  5. Possuo uma serigrafia desta pintora e neste momento não a vendia. Faz parte do meu património e só por necessidade económica o faria.

  6. Palma; Para quem não consiga ver que rua é no quadro da nossa terra, informo que, é precisamente a rua onde nasci… do lado esq. em primeiro plano, a horta do Inês, logo a seguir, a casa onde vivi… não gosto muito desta fase, prefiro as janelas e os quiosques… conheci a Maluda quando do 123… ficou encantada com o cenário do Napoleão, (publicado no FB), curiosa, ao falar-mos de técnicas, mais impressionada ficou ao saber a maneira como era executado e o tempo para a sua execução. As técnicas da Maluda, nesta fase, era muito simples, numa foto a preto e branco, limpava-se os cinzas intermédios, depois era só endireitar linhas e meter cor… fácil né? Inté. L. F.

  7. Caro Luís, tenho tentado descobrir a rua de Loulé pintada pela Maluda e apenas consigo ver uma outra que não a sua. Acho a rua ao fundo demasiado estreita….\\ Também eu gosto dos quiosques e janelas mas coloquei estas por serem cá do burgo e da capital do Reino rs..\\ Um dia destes sairá esse tal cenario 123. Se tiver uma história para contar sobre ele, melhor. Abraço Palma

  8. Palma; se olhar para o quadro que pintei e olhar para este verá que consegue reconhecer a rua, ela aldrabou um pouco ao endireitara rua… veja a inclinação da casa que dá pra rua que sobe, traseira da casa onde nasci e casota da horta, o “erro” está em ela ter tirado a vegetação. O cenário do Napoleão já lá está com o pormenor dos conselheiros serem o C. Cruz, o H. José e eu,rsss. Pena a foto estar um bocadinho desfocada. Inté. L.F.

  9. Era original o que num pintor conta muito. Nunca comprei nenhuma das suas cerigrafias. Mano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *