NATAL VISTO POR DRUMOND DE ANDRADE

Papai Noel às Avessas

Carlos Drummond de Andrade


Papai Noel entrou pela porta dos fundos
(no Brasil as chaminés não são praticáveis),
entrou cauteloso que nem marido depois da farra.
Tateando na escuridão torceu o comutador
e a eletricidade bateu nas coisas resignadas,
coisas que continuavam coisas no mistério do Natal.
Papai Noel explorou a cozinha com olhos espertos,
achou um queijo e comeu.

Depois tirou do bolso um cigarro que não quis acender.
Teve medo talvez de pegar fogo nas barbas postiças
(no Brasil os Papai-Noéis são todos de cara raspada)
e avançou pelo corredor branco de luar.
Aquele quarto é o das crianças
Papai  entrou compenetrado.

Os meninos dormiam sonhando outros natais muito mais lindos
mas os sapatos deles estavam cheinhos de brinquedos
soldados mulheres elefantes navios
e um presidente de república de celulóide.

Papai Noel agachou-se e recolheu aquilo tudo
no interminável lenço vermelho de alcobaça.
Fez a trouxa e deu o nó, mas apertou tanto
que lá dentro mulheres elefantes soldados presidente brigavam por causa do  aperto.

Os pequenos continuavam dormindo.
Longe um galo comunicou o nascimento de Cristo.
Papai Noel voltou de manso para a cozinha,
apagou a luz, saiu pela porta dos fundos.

Na horta, o luar de Natal abençoava os legumes.


Este poema foi publicado no livro
“Alguma Poesia”, Editora Pindorama, em1930, primeiro livro do autor.

( Desconhecemos o autor e o ano da bela fotografia que hoje publicamos)creepysanta

7 comentários a “NATAL VISTO POR DRUMOND DE ANDRADE

  1. Belo poema e interessante fotografia. Drummond de Andrade é um dos grandes da literatura brasileira. Também a fotografia não fica atrás. Um papai noel de antigamente com um ar mais de carvoeiro cansado do trabalho do que um simples velhinho de coração aberto.

  2. A foto não dirá respeito a Pai Natal da 2ª Guerra Mundial ? Era interessante saber-se o ano . Boas Festas.

  3. Maria Só e Rui: Também me parece que o Pai Natal desta foto deve ser da 2ª Guerra Mundial. Alguém com um rosto tão sofrido que nem sei mesmo como a criança resistiu ao seu abraço. Quem serão estes personagens ? Onde foi tirada esta foto ? Uma boa noite – Palma

  4. Luísa Moreira: Há muito que gosto do Drummond como do Vinicius e da Cecília Meireles entre outros. Descobri a poesia brasileira há uns anos atrás e sou admirador…. nunca porém esquecendo os nossos. Afinal somos um país de grandes poetas. Um bom Domingo. Abraço – Palma

  5. … as avessas começam com o calor … aqui o friozinho chegou pra nos lembrar que é mesmo Natal … porque da maneira que as coisas andam, o espírito natalicio já era … espírito consumista isso sim … eu confesso o meu desapego … enfim … só mesmo o C.D de Andrade para se lembrar do atípico …
    Palma, voltando atrás, muito rapidamente , no sismo de 69 não estava cá, regressei em Julho e deparei-me com rachas nas paredes de casa em Salir … Um bom resto de domingo no aconchego do lar … graças a Deus! somos uns felizardos. Abraço extensivo ao amigo da capital …

  6. Lila: Finalmente chove a cântaros ! rsss. Não tarda nada que não se oiçam as vozes do costume a dizer que já chega, que isto está tudo trocado,já devia ter chovido e não agora… enfim os queixumes da barriguinha cheia.\\Afinal você em Fevereiro daquele tempo já andava por essas Europas. Que felizarda. Eu só tinha ido a Ayamonte… acho eu…e num daqueles comboios de três horas e meia…. Abraço e uma boa noite de chuva. Palma

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *