NOSTALGIA DE NOVEMBRO

V O L T A R

Rodrigo Leão músico e fundador dos Sétima Legião em 1982 e dos MadreDeus em 1985,

tem sido desde dessa altura um brilhante fazedor de canções melódicas que certamente vão ficar por muitos anos nos nossos ouvidos.

Entre essas muitas composições a escolha de hoje recaíu sobre “Voltar” na esperança de que gostem tanto dela como eu.

.

Manhã Cinzenta
Faz-me chorar

A chuva lembra
O teu olhar
As folhas mortas
Caem no chão
A dor aperta
O coração
Quanto eu não daria
Para poder voltar atrás
Volta pra meu peito
Daqui não saias mais
Perdi-me AMOR
Pra te encontrar
Na solidão
Do teu olhar
No teu olhar
Se perde o meu
Também o mar
Se perde no céu
Quanto eu não daria
Para poder voltar atrás
Volta pro meu peito
Daqui não saias mais

17 comentários a “NOSTALGIA DE NOVEMBRO

  1. As canções de Rodrigo Leão são naturalmente nostálgicas. Esta com o título Voltar, assenta perfeitamente na vida de muitos de nós . Voltar ? Porque não ? louletano

  2. Vem mesmo a calhar nesta manhã mais pro tristonho … pelo menos aqui na antes Ossónoba … 🙂 eu gosto de ouvir Rodrigo Leão bem aconchegadinha … Palma, eu não quis citar palavras que você não tivésse dito 🙂 me desculpe tá? A Cravo tá sempre a dizer que vem de novo cá a baixo, mas acomoda-se pela capital … veremos … abraço

  3. Palma, este Leão põe o nosso a um canto,rsrs… melhor é eles encontrarem-se para afinar a partitura. Já comecei com a cançanita… e as frases são estas: FESTIVAL DA CANÇANITA! Como subtítulo… ainda está pra nascer quem cante melhor que eu,rsrs. ainda levo mas é uma pazada nos costados,rsrs. Inté.

  4. Luis: rsssssssssssssssssssss. Essa da pazada nos costados……..\\Até serve de publicidade ao nosso Festival teatral a malta agradece. rsss.\\ Quanto ao Leão Rodrigo terá que compor um hino a preceito para os nossos leões, pode ser que lhes dê ânimo e alguma força nas pernaças.\\ Está um dia de Outono por aqui. Já sabe bem para ver se isto refresca alguma coisa e não esquecendo a água que tanta falta faz e a gente até não se apercebe como ela é desperdiçada. Um dia vamos, ou outras gerações sentir na pele a falta da dita. Que a gente se engane são os meus votos. Abraço – Palma

  5. É na verdade um grande compositor este homem. Nunca o vi ao vivo mas gostaria . Pode ser que apareça pelo Algarve nos tempos próximos. Esta é uma das minhas preferidas embora em espanhol.

    Pasión
    Rodrigo Leão

    No, no digas que yo me muero
    Amor, mi vida es sufrimiento
    Yo te quiero en mi camino
    Por vos cambiaba mi destino

    Ay, abrazame esta noche
    Y aunque no tengas ganas
    Prefeiero que me mientas
    Tristes breves nuestras vidas
    Acercate a mí, abrazame a ti por Dios
    Entregate a mis brazos

    Tengo un corazón ganando
    Yo sé que vos me estas escuchando
    Con mis lagrimas te quiero
    Pasión, sos mi amor sincero

    Ay, abrazame esta noche
    Y aunque no tengas ganas
    Prefeiero que me mientas
    Tristes breves nuestras vidas
    Acercate a mí, abrazame a ti por Dios
    Entregate a mis brazos

  6. Palma; essa sua observação pela poupança de água leva-me a que informe a malta da Louletania de como poupar água todos os dias pela manhã e não só… ao lado do lavatório tenho um recipiente… para os dias frios que se aproximam, (e como sou friorento, e quem não é), ponho-o debaixo da torneira da água quente, enquanto ela não chega nem imagina os litros que poupo, somando todos os dias do inverno, é só fazer as contas como dizia o outro… um pequeno gesto que não custa nada e poupasse pro futuro. Inté. L.F.

  7. Luis: Uma boa medida de poupança de água num tempo em que muita malta ainda não se apercebeu como ela vale ouro. Olhemos para este Outono a caminho de Dezembro e apenas choveu coisa de dois dias ou três.\\ Continuação de boas ideias sobretudo aora para a Cançanita. Abraço – Palma

  8. Quem não gosta de escutar belas canções ? O dia hoje convida à melancolia. Uma boa tarde.

  9. Olá Cravo. São tantas e tão bonitas as canções do R.L. que cada vez que se escuta uma que não conhecemos passamos a ser admiradores dela. Aqui fica a letra:

    São de veludo as palavras
    Daquele que finge que ama
    Ao desengano levo a vida
    A sorte a mim já não me chama

    Refrão:
    Vida tão só
    Vida tão estranha
    Meu coração tão maltratado
    Já nem chorar
    Me traz consolo
    Resta-me só um triste fado

  10. Caro Luís Furtado. Eu é que agradeço não ter levado a mal por ter utilizado a imagem da sua obra. Nós Louletanos é que temos de agradecer e reconhecer a forma como maravilhosamente tem representado a cidade de Loulé.

    Abraço para si e para o dono deste hotel de luxo 🙂 O Palma

  11. Olá novamente Luís F.

    O Pedro colocou este comentário no Árvores da Portugal e deixou-o também no meu email. Penso que era interessante o Luís brindar-nos com a sua opinião sobre a questão que ele levanta.

    “Estas com­pa­ra­ções “ontem e hoje” são sem­pre muito inte­res­san­tes. Neste caso, em que parece haver algu­mas déca­das a sepa­rar as ima­gens, impres­si­ona uma certa degra­da­ção geral, que não se resume à arau­cá­ria, mesmo com a apa­rên­cia de enri­que­ci­mento da ima­gem de hoje. Ou isso, ou a har­mo­nia da ima­gem mais antiga foi refor­çada pelo pin­tor, o que nada teria de inesperado” Pedro Arrabaça

    O link do Árvores de Portugal é este: http://www.arvoresdeportugal.net/

    Abraço
    João Martins

  12. João Martins : Este é um tema que há algum tempo pensei aqui colocar já que trabalhei durante mais de vinte anos a escassos metros dessa mais bela árvore da Louletania. Assim, hoje quando li o texto fiquei satisfeito pois alguém se lembrou deste tema tão interessante para tantos louletanos. Assim gostaria de publicar o mesmo aqui no dia de amanhã ou depois, caso não haja qualquer problema na sua publicação. Abraço – Boa noite – Palma

  13. Cravo :continuamos fans do Rodrigo Leão e das suas canções. Espero que por muito tempo. Palma

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *