O AUTO DO TI’ JAQUIM REPRESENTADO EM LOULÉ

Hoje e amanhã , terão lugar na Casa da Cultura de Loulé pelas 21H30, duas representações do “ Auto do Ti’Jaquim” de António Aleixo, pelo Grupo de Teatro Arte de Viver da Universidade Sénior de Loulé.

“……… Como deixou escrito esse ourives e Mestre de Teatro – Gil Vicente, num dos seus autos, “ nós somos vidas de gentes e gentes de nossas vidas”, queremos então com este Auto do Ti Jaquim, homenagear todos os mestres de saberes que ainda exercitam os seus ofícios e todos os que povoaram as aldeias e vilas, com a sua criatividade neste vasto concelho de Loulé.

António Aleixo, Mestre da palavra, que a sabia burilar com o bisturi do seu sentimento e compaixão por tudo o que é humano, com especial respeito e carinho pelos deserdados, deixou-nos em quadras e autos , tão ao jeito de Gil Vicente, jóias universais cujos conteúdos a traça do tempo não rói.

Este Auto, podia muito bem ter acontecido na Barbearia Clareza, ali na rua das Lojas, onde Aleixo tantas vezes lançou quadras ao vento e se perderam, e, encantado com esta arte o Mestre Clareza, brindava-o noite fora com o dedilhar, tangido e dolente da sua guitarra, fazendo ambos, mais os fregueses e amigos, serões que resultavam na festa de almas irmãs, recordados para sempre como momentos de grande felicidade que se podem imortalizar nesta quadra : Goza mais um desgraçado\ num dia de felicidade\ do que qualquer abastado\ em toda a eternidade\…..

José Teiga (encenador do Grupo da U.S:L. )

Foto: Cartaz de autoria do Professor António Almeida

24 comentários a “O AUTO DO TI’ JAQUIM REPRESENTADO EM LOULÉ

  1. Ver algo representado da obra de Aleixo é um dever de qualquer bom louletano. Lá estarei.

  2. Felizmente, há gente que não deixa morrer o que há de genuíno na sua terra. Não se pode deixar morrer o acto de representar.
    Obrigada.

  3. Antes de tudo, parabéns ao autor do cartaz! … imagino que pro Palma será um avivar de memórias … mestre Clareza, mestre Aleixo, mestre Luis, mestre António … vivam todos!
    … e já agora um viva ao post anterior e ao homem que o originou! … como diz o Luis e muito bem, este país precisa de mais Saramagos … comunistas ou não, isso pouco importa! ah! e um grande viva ao nosso Aleixo, que continua a dar cartas … e continuará … Abraço à louletania e afins …

  4. Teresa e Luisa Moreira: Na realidade nas pequenas cidades ou vilas vai havendo quem não deixe morrer as suas raízes quer fazendo teatro, cantando ou recitando. Ainda bem- Palma

  5. Lila: O nosso Almeida foi feliz com um cartaz cujas fotos não eram muito nítidas para o realizar. Quando eu nasci o Aleixo já tinha morrido. Mas guardo do meu pai muitos e muitos serões quer na barbearia quer em casa de momentos únicos passados com o Aleixo e outras figuras de Loulé. Que pena na altura não existirem gravadores.
    As quadras que o Aleixo disse aos milhares e que se perderam dariam para muitos livros hoje…..Mas é assim. Resta o que conhecemos e alguns depoimentos, já poucos de quem privou com ele de perto. O meu amigo Luis Sena realizou há pouco com outras pessoas um belo documentário sobre o Aleixo e que passou na RTP 2 e em que foram ouvidas práticamente as poucas pessoas existentes que privaram com o poeta. É um belo documento e certamente a RTP passará nalgum aniversário do Aleixo talvez em Novembro. Abraço – Palma

  6. Palma; você pode regozijar-se por o Almeida ter sido feliz na feitura do cartaz, eu é que não vou nessa, e quando for a Loulé, vou processa-lo por entrar em áreas que não lhe dizem respeito… se não ganhar a causa, vingo-me, vou exercer a profissão de professor… ter mais que um cargo e autorizado, só para os amiguinhos… como é que disse?… ah é por uma boa causa?… bem, sendo assim está desculpado,rsrs. Do que te livraste Almeida,rsrs… Faz sempre o bem sem olhares a quem, se bem que à muito boa gente que não o mereça, mas perdoa-lhes senhor, eles não sabem o que dizem nem o que fazem… do Aleixo não direi o mesmo, ele sabia o que dizia, e o mestre Clareza sabia o que fazia!… Não percam nunca essa memória, é com quem nos deixa algo, (que por vezes nos transcende), nos levará a construir um Mundo melhor. Bem haja e que tudo corra bem. Inté. L.F.

  7. Bom dia … apenas para sua informação Palma … eu assisti, e deliciada a esse documentário!!! portanto meu amigo … ehehe ah pois !!

  8. Não há ninguém que dê os parabéns a quem teve a ideia de pôr este autos em cena, com os alunos da Universidade sénior?
    Viva o Zé Teiga, porra.

  9. Rapaziada: Calma que há parabéns para todos rsss. Não se alcachofrem, porque o Aleixo lá onde está, fica sempre muito contente, certamente quando alguém se lembra dele cá em baixo. E aqui na sua terra e noutras, há sempre pessoal que reconhece o seu valor. Pena que as gerações mais novas estejam um pouco viradas para outros temas. O que é preciso é ir lembrando e passando a mensagem como aconteceu ontem à noite e certamente esta noite. Palma

  10. Este circuito é muito fechado. Só falam deles próprios, que coisa mais estranha.

  11. Eu já tinha visto o Auto do Aleixo no Mercado e olhando aos intervenientes da peça, sendo pessoas que se calhar, algumas, nunca pisaram um palco, não estavam mal. Ninguém ía esperar ver ali os actores do D. Maria II. Fizeram o melhor que puderam os alunos da Universidade Sénior e assim devem continuar.

  12. E para quando novamente a Pensão lá do Cadoiço ? Espero que estejam ainda prontos para mais uma vez pelo menos. Queremos ir de novo. Nina

  13. Fui eu Palma, era só para ver e saber, porque é que aparecem dois símbolos iguais com nomes diferentes… fiquei melhor esclarecido,rsrs. Inté. L.F.

  14. Encenador Teiga!! Está bem assim?
    Nem ponta de ironia ou sarcásmo houve na designação “La Féria”… tratou-se apenas de dar “enfoque” à tarefa do ensaiador.
    Tudo bem, agora?

  15. Luis: Cá estamos de novo para dar andamento a este post que está bem agitado. Ainda bem que o Teatro faz agitar as massas. \\ Quanto à sua pergunta ela tem realmente fundamento. O Bonequinho que aparece se se escrever dez vezes do mesmo endereço ele é sempre igual. Mas isto é uma sala livre e estamos abertos a toda a gente ou seja a quem vier por bem. E Viva o Teatro !

  16. Quando se fala do A. Aleixo logo nos vem à memória quadras que todos nós conhecemos mas que nunca são demais recordar.

    São parvos, não rias deles,
    deixa-os ser, que não são sós:
    Às vezes rimos daqueles,
    que valem mais do que nós.

    Julgando um dever cumprir,
    Sem descer no meu critério,
    Digo verdades a rir
    Aos que me mentem a sério!

    Há luta por mil doutrinas.
    Se querem que o mundo ande,
    Façam das mil pequeninas
    Uma só doutrina grande.

  17. É Almeida, estou de acordo que assim seja, guardar para memória futura o trabalho de alguém que, (sem interesses), fez algo pela cidadania Louletana. L.F.

  18. Almeida: É sempre de agradecer a tua boa vontade. Este cartaz diz-me algo mais do que outro qualquer, já que fala de um espaço que me foi muito querido e onde muito aprendi, com gente mais velha do que eu na altura sendo certo que cada um com as suas experiências de vida enriqueciam com as suas descrições a malta mais novita. Aprende-se sempre muito com os mais velhos, ao contrário do que muitos novos nos dias de hoje pensam. Palma

  19. Luis: Afinal isto é um trabalho de muita gente. Por isso agradece-se ao encenador amigo Teiga cujo texto de abertura deste post é de sua autoria, ao Almeida e o seu original cartaz e a todos os séniores que continuam fazendo teatro não só para séniores mas para gente de todas as idades que gostam desta tão bela arte chamada Teatro seja ele Amador ou Profissional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *