O Fado Vadio…quem o conheceu ?

Chamavam-lhe Fado Vadio e quem o queria ouvir tinha de percorrer os velhos Bairros de Lisboa nos lugares mais estranhos e por vezes algum cuidado era necessário já que desconhecidos por becos sem saída e escadarias para lugar nenhum não eram coisa para qualquer um.

Luís Pavão, fotógrafo profissional fez uma recolha fotográfica nas décadas de 1980 e 1990 recolha essa que já foi exposta até a convite do Boston Portuguese Festival.

Mas conta ele: “ Comecei a reparar neste mundo do Fado Vadio em 1979, estava então empenhado em fotografar as Tabernas de Lisboa. Deslocava-me sempre sozinho, com uma câmara de 35 mm e filme a preto e branco. Em algumas tabernas encontrava fadistas, marginais, excêntricos, com magras violas, soltavam gemidos tristes, eram apaixonados pela sua arte. Quando cantavam calavam-se as conversas e aproximavam-se os forasteiros.

De vez em quando descobria uma nova taberna com fado, mais retirada. Eram sempre homens, principalmente reformados, mas também trabalhadores, camionistas, estivadores, vendedores. Qualquer coisa os ligava, cantavam por prazer, não havia preocupação com público. Um turista ou outro podia aparecer. Isto passava-se tanto em Alfama como no Bairro Alto, também na Mouraria, na Madragoa, em Alcântara no Beato, na Bica, em Campo de Ourique. Não eram locais muito visitados, sequer conhecidos, cantava-se igualmente nos bairros populares de Lisboa. Fotografar nestes locais não era muito recomendável. Eu não passava de um estranho, que tirava fotografias, furtava imagens (e a alma quem sabe?), sabe-se lá para quê, podia ser da polícia, ou das finanças. Várias vezes tive problemas nas tabernas.

Todo este mundo passou. No Bairro Alto as tabernas e tascas pobres passaram a restaurantes de luxo ou de moda e afastaram os fadistas. Outras casas surgiram com fadistas, mas é outra coisa. Dele nada resta, a não ser recordações e algumas fotografias.

Fonte: Blog Lupa- Luis Pavão Ldª.

Fotos: – Tasca onde se cantava o fado em 1930 (autor desconhecido)

– Fadista conversando com músico – Autor Luís Pavão.

11 comentários a “O Fado Vadio…quem o conheceu ?

  1. Tenho uma paixão pelo fado. Acho que este era o Fado Puro e Duro. Mas tudo na vida não pode durar sempre. Gostei.

  2. Gosto imenso deste Fado do Fernando Mauricio que se chama AQUELA BOCA. Para os seus fans deixo-a aqui ——————
    Conheço como os meus dedos
    Os traços daquela boca
    Que me beijou tanta vez
    Ouvi-lhe tantos segredos
    E tanta palavra louca
    Em tanta jura que fez

    É tão meiga apetitosa
    Tão formosa, sedutora
    Cheia de perfume e cor
    É a boca mais mimosa
    Mas a mais enganadora
    A trocar beijos d’amor

    Não há boca mais travessa
    Provocante, sorridente
    E atraente, não há
    Como eu quem a conheça
    Sabe que essa boca mente
    Em cada beijo que dá

    Encantadora sensível
    Quando não beija revela
    A forma dum coração
    Até parece impossível
    Que uma boca como aquela
    Não saiba dizer perdão

  3. Só comecei a gostar de Fado depois dos trinta anos. Até aí achava coisa antiga e fora de moda. Depois aprendi aos poucos a gostar de ouvir o trinado das guitarras e as belas vozes dos fadistas que temos.

  4. E viva o Fado Vadio ou não. É nosso, só nosso e vale por tudo isso. Fernando LM Fao

  5. Que pena estes sítios estarem a desaparecer. Ficamos com pena agora de não os terrmos visitado quando eles existiam. Pelo menos pela minha parte que pouco conheço dos bairros de Liboa.

  6. Aprendi a gostar de fado há poucos anos. Até aí não conseguia aceitar aquele canto. Hoje gosto bastante de fadistas como Carminho, Camané, Dulce Pontes e outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *