O Mistério da ” Conquista de Loulé “

Segundo informação colhida do Blog louletano “seBASTIÃO”, http://ssebastiao.wordpress.com/ do Professor António Almeida, o quadro “ A Conquista de Loulé”, oferecido pelo seu autor, Luís Furtado, a esta cidade e portanto aos louletanos, encontra-se actualmente e desde há meses, numa mínuscula sala do Castelo de Loulé entalada entre mobiliário e diversa papelada.

É na verdade uma notícia que nos entristece já que somos amigos de há muito, do Luís Furtado e sabemos do seu orgulho de louletano e amante desta terra que o viu nascer.

Luís Furtado é da geração de José Baptista, outro artista louletano que merecerá o devido destaque num dos próximos artigos, nesta humilde sala que dá pelo nome de “ Louletania”.

Esperemos então que a tão falada, mas pouco vista tela deste pintor/cenógrafo ,consiga um lugarzinho condigno para que os louletanos e não só ,a possam apreciar.

Imagem de Arquivo: Luis Furtado junto da sua tela quando da vinda da mesma para Loulé.

10 comentários a “O Mistério da ” Conquista de Loulé “

  1. Esta terra tem sido madrasta para alguns dos seus filhos. Este pintor louletano pelo jeito viu o seu trabalho passar a figurar em arrecadação. Do arco da velha não ?

  2. Grande polémica haverá hoje nos Paços do Concelho, muitas perguntas e muitas desculpas buscarão quem, no final da escada do poder, ficará com a culpa.
    Descobrir-se-à que ninguém sabiade nada e que se tratou de uma decisão incompetente de um operário qualquer!
    Um quadro intermédio garantirá que, a curto prazo, será encontrada uma solução… e, nós, esperaremos uma vez mais!

  3. Bom dia Palma; já cá estou e ouvindo a moderna música árabe para desanuviar tristezas… brevemente será enviada pelo correio. Sobre o “mistério” já desabafei no SeBastião, para não me repetir, faça-lhe uma visita,rsrs. Posso acrescentar entretanto, que, uma pessoa até fica desmoralizada e sem vontade de acabar os quadros sobre Loulé. Estou a pensar ir ao arquivo de identificação mudar o nome e nacionalidade assim a modos que estrangeirado, (nem que seja árabe), pode ser que seja melhor aceite,rsrs. Inté.

  4. Palma; esqueci-me de dizer que este quadro já veio numa das páginas do jornal do Exército!… e esta hei… pelo menos foi visto por muitos praças, sargentos, oficiais, etc. etc. se os Louletanos o querem ver, basta comprar a revista,rsrs. Inté. L.F.

  5. Luis: Compreendo que esteja um pouco desiludido com esta situação pois qualquer um se sentiria frustrado depois de tanto trabalho, ver, quem sabe se por descuido, um quadro dedicado à cidade,trancado numa saleta/arrecadação ??? Mas não há nada que não tenha solução neste mundo dos vivos. Esperemos.\\ Bem… se o quadro já foi exposto nas páginas do Jornal do Exército muitos terão sido já os leitores que apreciaram a obra . O mistério vai-se desvendar concerteza. Aguardemos. Abraço – Palma

  6. Loulé é uma terra de mistérios. Ou é a banda que é empurrada nas procissões, ou é a SAede da mesma que está caíndo aos bocados, ou são árvores que são cortadas por todos os lados, ou é o cinema que nunca mais aparece à luz do dia depois de desventrado, ou são os canteiros da avenida que são colocados em estilo raso como as campas dos cemitérios, ou é.. etc etc etc. Não tenho pachorra mais para tudo isto. Passem bem.

  7. A arte é a contemplação: é o prazer do espírito que penetra a natureza e descobre que ela também tem uma alma. É a missão mais sublime do homem, pois é o exercício do pensamento que busca compreender o universo, e fazer com que os outros o compreendam.” (August Rodin)

  8. Luis Furtado: Acabei agora de ver na RTP Memória o programam ” E o resto são cantigas” apresentado por aqueles excelentes profissionais, Fialho Gouveia , Carlos Cruz e Solnado. HOje era dedicado ao também excelente compositor Raul Ferrão homem que escreveu centenas de canções que andaram na boca do povo dezenas de anos. E o cenógrafo era o Moniz Ribeiro e não o Luis Furtado. Onde pára esse homem ? Até amanhã e o resto…. são cantigas. Abraço – Palma

  9. Palma; e eu acabei de subir as escadas a muito custo… à coisas por aí que me fazem mesmo mal… descuidei-me com as nêsperas e pimba, o ácido úrico a dizer que não as quer,rsrs.\\\ Em muitos programas a cenografia era assinada por cenógrafos funcionários da RTP… o nome de quem executava nunca aparecia, prática que veio a desaparecer com programas como o 123 e outros, não afectos directamente à estação… então passou a ler-se; cenografia de; execução de;… por estranho que pareça muitos deles, (ou quase todos), não eram capazes de executar em grande, é o caso do Moniz Ribeiro que está bem e recomenda-se, ao menos tem mais juízo que eu, não come nêsperas,rsrs… o curioso da sua pergunta é vir mesmo a talho de foice… a próxima revista tem maquetas do Moniz, executadas pelo Furtado… tá a ver porque digo que sou “pintógrafo”,rsrs. tudo o resto… são mesmo cantigas,rsrs. Inté. L.F.

  10. Luis: Parece que eu adivinhava. Um as maquetas o outro a execução. … e fica tudo em família e não há mais quem falou….rsssss.\\ As nêsperas não é fruta da minha preferência mas qualquer algarvio que se preze não
    deixa de apanhar uma barrigada e depois sobem os ácidos tanto os úricos como todos os outros incluindo o sulfurico…rssss.\\ Ficãmos mais elucidados sobre a cenografia. Um indiviúdo que faz uma maqueta de 20 cm pode não saber
    executá-la em tamanho grande… é isso ? \\\ Abraço e vamos a ver se o Admir ressuscitará entre os escombros da Batalha de Loulé… Palma

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *