O PUDOR PELA POESIA ERÓTICA

Gravura de Nicolas Regnault

Hoje por acaso quando alguém ao meu lado desfolhava a Antologia da Poesia Erótica e Satírica – Selecção de Natália Correia, fui chamado à atenção para um poema de Augusto Gil , o tal da Balada da Neve, que a maior parte dos portugueses conhecem dos seus tempos de escola. E sinceramente não estava à espera, já que desconhecia a faceta do erotismo na poesia do A.Gil.

Há uns anos atrás haveria bem quem corasse ao ler tal poema. Felizmente apesar de alguns falsos moralistas nos dias de hoje, ainda mudarem de folha com receio de serem notados, a coisa mudou um pouco. Mas vejamos o que diz um estudioso da literatura em geral e sobretudo deste tipo de poesia, André Cervinskis .

“Etimologicamente, erotismo deriva de Eros, o deus do amor. Segundo os estudiosos do erótico moderno, o erotismo é a espiritualização da carne e sua conversão em cultura. Isso distingue a literatura erótica da pornografia vulgar. No meramente obsceno, a carne permanece tristemente encerrada em sua imanência; a pornografia é o signo objetivo do fracasso em transcender essa imanência. Ao contrário, a transcendência é a dimensão natural da literatura erótica. E erotismo em literatura não é um tema novo. Existe desde a antiguidade. Na Grécia, Platão, em seu O Banquete, o celebrou além dos limites da heterossexualidade. Aristófanes lega ao futuro comédias de extrema licenciosidade.”

E agora fiquem com o poema do Augusto Gil:

NOITE DE NúPCIAS

ºººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººººº

Enquanto despia o fraque
junto ao leito de noivado,
escapuliu-se-lhe um traque
de timbre aclarinetado…

A noiva olhou-o de lado,
e pôs-se, com ar basbaque,
a remirar o bordado
das botinas de duraque…

Houve após esse momento,
naquela noite de gala
um duplo constrangimento.

E o noivo disse-lhe então:
Oh filha, cu que não fala
é cu sem opinião...”
.

13 comentários a “O PUDOR PELA POESIA ERÓTICA

  1. “O pudor é tão necessário aos prazeres que é preciso conservá-lo mesmo nos momentos destinados a perdê-lo.” (Anne Lambert)

  2. Que bela é a poesia erótica/satírica. Abaixo o pudor! De uma vez por todas haaa.

  3. DOM TESO

    Rogério Simões

    Estava Dom Teso a descansar

    No meio dos seus dois colchões

    Quando uma moçoila ao passar

    Deita a mão ao seus…melões

    – De pé! Ao seu lugar!

    Vamos à procura de luta

    Não se pode assim deixar

    Quem apalpa tão bem a fruta!

    E se a atrevida era esbelta!

    Tinha um corpo de atleta!

    E um “papo” que nem um nabo!

    E eis já todo aprumado…

    Grita o dono transtornado

    – Pára Dom Teso que é rabo…

  4. Viva Palma; mais um fim de semana à porta… como dei uma gargalhada com a poesia dita erótica do Augusto Gil aqui vai… esta é para as moças… quando um rapaz passar por voz gabando ou elogiando os vossos peitos, (ou mamas como queiram), dizendo, mas que ricos marmelos a menina tem!… respondam… gosta?… o meu pai tem semente lá em casa!,rsrs. A propósito ainda do poema lembrou-me o Bocaje…junto à porta dos ferradores existiam umas argolas de ferro na parede para prender os burros ou cavalos… vai daí o Bocaje agarra-se a uma delas com unhas e dentes e com um pé na parede começa a puxar por ela com toda a força que pode gritando… sais ou não sais?… sais ou não sais?… de repente dá um grande traque e… saiu, ou não saiu,uf…rsrs. Inté. \\\ Tenho a terrível sensação de a Mãe não chegar aos 92, uma anemia e uma infecção nos brônquios deitaram-na abaixo… fiquei arrepiado com o SO do Amadora Sintra… as visitas tinham que ir 5 6 de cada vez, por mal terem espaço para andar… o mais irritante é ver tanto terreno em volta e a pergunta é… um Hospital novo que serve milhares e milhares de utentes não podia ter umas instalações maiores? \\\ Desculpem qualquer coisinha. L.F.

  5. Emile, Amigo e Puuueeetaé de agradecer a vossa participação com o poema , pensamento e opinião no que diz respeito ao erotismo na poesia. Ainda há um certo pudor (falso) a meu ver que se esconde por de trás…..

  6. Luís Furtado: Pena que a sua mãe esteja a ficar mais fragilizada com tudo isso que surgiu. E depois noventa e quase dois já são muitos…. Espero , apesar de tudo, que melhore….\\ Não conheço o Hospital Amadora/Sintra mas se calhar sofre de alguns defeitos iguais a outros que existem por aí. Embora tenha havido grandes melhorias e construção de alguns novos e com as modernidades de hoje, infelizmente isso não chegou a muitos outros.\\ O Bocage também será trazido aqui um dia destes. Grande poeta e com tão má fama … coitadinho. Abraço e as melhoras. Palma

  7. Ai, ai Palma … lá vai você chocar as donzelas ehehehehehe … então e da poesia erótica do António Aleixo ninguém fala? e do Fernando Pessoa? todos eles têm a sua … poesia erótica claro

    sinceros desejos da recuperação da mãe do Luis … temos que trazê-lo pro FB … Abraço

  8. Liliana: Agora é que isto vai começar…rsss… desde o Bocage ao F.P, Aleixo, Natália… vai ser uma pouca vergonha…rssss…\\ E que bela poesia erótica temos. Mas na verdade pouco se fala dela.\\O tempo invernou e a Primavera fez um interregno.. Abraço – Palma

  9. De todas as aberrações sexuais, a mais singular talvez seja a castidade.
    Rémy de Gourmont – Escritor francês

  10. Já que está aberta esta página de poesia erótica e satírica aqui vos deixo um poema dos muitos, de Manuel Maria Barbosa du Bocage.

    Cagando estava a dama mais formosa,

    E nunca se viu cu de tanta alvura;

    Mas ver cagar, contudo, a formosura,

    Mete nojo à vontade mais gulosa!

    Eis a massa expulsou fedentinosa

    Com algum custo, porque estava dura:

    Um carta d’amor de alimpadura

    Serviu àquela parte mal cheirosa:

    Ora mandem à moça mais bonita

    Um escrito d’amor que lisonjeiro

    Afetos move, corações incita;

    Para o ir ver servir de reposteiro

    À porta, onde o fedor e a trampa habita,

    Do sombrio palácio do alcatreiro!

  11. Não é poesia erótica mas é algo de satirico tirado do Jumento:
    <<<<<<
    Cavaco Silva, que há quatro anos anda a fazer de conta que é Presidente da República e de que ainda não sabe se é candidato, usou o seu estatuto de Presidente da República para defender o Cavaco Silva candidato que faz de conta que ainda não é para responder a Manuel Alegre. Se a forma como respondeu revelou um Cavaco esganiçado que perdeu a calma, mostrou também um Cavaco pobre intelectualmente e com dimensão para presidente de uma junta de freguesia.

  12. Do Chico Buarque com muita sacanage.
    Chico Buarque de Holanda

    O meu amor

    O meu amor
    Tem um jeito manso que é só seu
    E que me deixa louca
    Quando me beija a boca
    A minha pele inteira fica arrepiada
    E me beija com calma e fundo
    Até minh’alma se sentir beijada, ai

    O meu amor
    Tem um jeito manso que é só seu
    Que rouba os meus sentidos
    Viola os meus ouvidos
    Com tantos segredos lindos e indecentes
    Depois brinca comigo
    Ri do meu umbigo
    E me crava os dentes, ai

    Eu sou sua menina, viu?
    E ele é o meu rapaz
    Meu corpo é testemunha
    Do bem que ele me faz

    O meu amor
    Tem um jeito manso que é só seu
    De me deixar maluca
    Quando me roça a nuca
    E quase me machuca com a barba malfeita
    E de pousar as coxas entre as minhas coxas
    Quando ele se deita, ai

    O meu amor
    Tem um jeito manso que é só seu
    De me fazer rodeios
    De me beijar os seios
    Me beijar o ventre
    E me deixar em brasa
    Desfruta do meu corpo
    Como se o meu corpo fosse a sua casa, ai

    Eu sou sua menina, viu?
    E ele é o meu rapaz
    Meu corpo é testemunha
    Do bem que ele me faz

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *