Os pistoleiros que nos faziam vibrar !

— Os velhos filmes de cowboys foram o encanto da malta do meu tempo.
— Tínhamos uma visão romântica desses heróis, como justiceiros, foras da lei ou ainda como grandes pistoleiros.
— Hollywood exportava nessa altura, para o mundo inteiro, as mais destemidas histórias desses homens do velho oeste americano. Rapidamente esses personagens passavam a heróis de miúdos e graúdos da época, sendo certo que no mais recôndito cinema de vila ou aldeia, lá estava alguém de olhos arregalados, encantado com as belas paisagens das pradarias do velho Oeste e da correria desenfreada de belos cavalos montados por incríveis pistoleiros.
— Esta noite decidi assistir a uma dessas « cowboyadas» só que desta vez no escuro da minha sala e não da velha sala do Cine Teatro Louletano.
— Os tempos mudaram, mas a malta ainda exclama como antigamente: Que grande « Coboiada » !!!!

Palma – Foto: Net

11 comentários a “Os pistoleiros que nos faziam vibrar !

  1. O que me parece interessante no meio de tudo isto julgo ser a importancia que estas imagens tiveram em toda a malta pois ainda hoje quase todos gostam de ver uma bom western. E que grandes actores existiram.

  2. Eh eh eh Palma; Seria muito mais interessante se o amigo tivesse por aí na época, um Olímpia… aquilo sim é que era ver Cowboyadas, (a preto e branco), de sessões contínuas em 15 episódios 31 partes, era um nunca mais acabar… até dava para ver o filme de novo com o mesmo bilhete… o que eu me divertia com as repetição de cenas nas perseguições aos maus, já estavam avançados no tempo, só que não eram à retardador, pelo contrário, era em cavalgada acelerada,rsrs. Ainda hoje se vê um bom filme de Cowboys que nada tem a ver com o antigamente… aqui à tempos vi um no meu cine onde os cavalos até pareciam que estavam dento da sala, tal era a qualidade da banda senora. Por aqui continua a canícula, cuidado com os incêndios que aparecem com o Sol da meia noite,rsrs. Inté. L.F.

  3. Luis Furtado: No Olimpia apenas assisti a um filme que nunca mais esqueci, naqueles meses de reprises. Foi o ” Gata em telhado de zinco quente” com a Eliz. Taylor.
    \\\\ Essa dos 15 episodios – 31 partes era de derreter cadeiras rssss.\\ Como voce diz a nos filmes de agora o som e de tal modo perfeito que parece que tudo se passa dentro da nossa casa….\\\\ Quem havia de imaginar naquela altura…..\\\ Por aqui o calor sufoca mesmo sem brilhar o sol.\\ Quanto a uns benfeitores da Natureza que trabalham pela calada da noite acho que precisavam de uns retiros numas ilhas desertas so com calhau e tubarao…..

  4. Poucos filmes desse estilo vi mas agora que falam neste tema vou aproveitar para dar largas a uma certa curiosidade. Bons filmes para este Agosto. Bill

  5. Era uma vez no Oeste e o Combóio apitou três vezes ficaram para a história do cinema. Gostava de voltar a ver estes magníficos. Telmo

  6. John Wayne: Com a sua enorme presença física, John Wayne dominou o faroeste quando esse genero se achava no auge. Com John Ford, participou de um bom número de filmes, entre os quais “Forte Apache – Sangue de Heróis”, “Legião Invencível”, “Rio Grande”, “Depois do Vendaval”, “Fomos Sacrificados”, “Rastros de Ódio”, “Marcha de Heróis”, “O Homem Que Matou o Fascínora” e “A Conquista do Oeste”. Por sua actuação em “Bravura Indomita”, Wayne foi agraciado com o Oscar de Melhor Actor, tendo sido ainda indicado para o Oscar por sua actuação em “As Areias de Iwo Jima”.
    Um Actor com letra bem GRANDE.

  7. Olá Palma,

    Não perdia uma série do Bonanza. Bons velhos filmes esses da cowboiada. E em banda desenhada o Lucky Luky era imperdivel.
    Abraços
    Joâo martins

  8. Palma; os autores da revista, (que deve ser uma grande cowboyada), são; F. Nicholson e Mário Rainho… chegou-me às mãos um cenário com verde e vermelho, muito acinzentado com a frase… “I’M FREE…PORT UGAL”, isto “VAI «mesmo» DE EM@IL A PIOR”,rsrs. \\ Voltando ao tema, uma das figuras que me regalava a vista, era o Roy Rogers com suas vestes e o famoso cavalo Trigger… recordo também o Hopalong Cassidy, o Gene Autry e ainda o Tom Mix… na banda desenhada havia o célebre Cisco Kid e o seu amigo Pancho desenhada pelo Argentino J. Luís Salinas… já desapareceram todos, sinto-me “envelhecido”,rsrs. A canícula contínua e os predadores também, até quando? Inté. L.F.
    PS; estou a ler a Lazzarella do Renato Carosone dos anos 50, depois envio.

  9. Telmo: Era uma vez no Oeste e o Comboio…foram grandes filmes;
    James: O John Whyne nunca sera esquecido. Foi a grande estrela desse tempo. ABraço

  10. J. Martins: O Bonanza fazia parar a pequenada de Portugal inteiro. E mesmo o tema musical da serie ainda hoje me parece escutar….. Abraço

  11. Luis Furtado: A «Fonte» do Nicolson e do M. Rainho nunca seca. E o papel deles ´e bater, bater. Alias a revista nao teria graça sem a « pancadaria» habitual…rsss\\ Todos esses herois de que fala ainda li alguns. Nas casas de alfarrabistas de Lisboa deve-se conseguir ainda algumas coisas.\\ O calor continua a fustigar a terra e as nossas « monas» Parece que estamos a assar, salvo seja. Quando baixara isto ? Parece-me que para a semana elas baixam. Espero que os predadores chafurdem nas cinzas que provocaram. Abraço –

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *