Para nós 8 de Dezembro ainda é o dia MÃE !

Louletania continua a comemorar o dia da Mãe em 8 de cada Dezembro que vai passando.
Há alguns anos atrás, alguém tomou a decisão de passar a comemoração deste dia, no nosso país, para o 2º domingo de Maio. Escutadas várias versões dos motivos dessa mudança nada nos pareceu suficientemente credível para que também seguíssemos tal decisão. Trazemos ainda a saudade dos tempos de infância em que nesta data, singelamente nos abraçávamos mãe e filho num daqueles abraços cheios de verdade.
Aqui fica um pequeno poema de Carlos Drummond de Andrade, grande poeta brasileiro, que dedicamos às mães que já seguiram os caminhos da Eternidade.
Foto: de Micaela Rosa Palma (minha mãe) tirada num Estúdio em Moura ( Ano ??)

…………………………………………………………………………………………………………………………………………….

CARTA

Há muito tempo, sim, não te escrevo.
Ficaram velhas todas as notícias.
Eu mesmo envelheci. Olha, em relevo,
estes sinais em mim, não das carícias

…………………………………………..

( tão leves ) que fazias no meu rosto:
são golpes, são espinhos, são lembranças
da vida a teu caminho, que ao sol-posto
perde a sabedoria das crianças.

…………………………………………….

A falta que me fazes não é tanto
à hora de dormir, quando dizias:
Deus te abençoe”, e a noite abria em sonho.

……………………………………………

É quando, ao despertar, revejo a um canto
a noite acumulada de meus dias,
e sinto que estou vivo, e que não sonho.

10 comentários a “Para nós 8 de Dezembro ainda é o dia MÃE !

  1. também acho que se deve comemorar hoje pois durante toda a minha infancia foi neste dia e não vejo razão para mudar uma data bastante querida dos portugueses. Bela

  2. Palma; neste dia envio uma ganda beijoca para todas as mães, para nós, sempre foi este o seu dia muito embora considere que o são todos os dias… conte-me lá esta história desta foto ter sido tirada em Moura… curiosidade minha, é que eu tenho lá Família. \\\ O Rossio já deve andar por aí, agora não faça como eu que um dia cria à força meter um texto enorme num espaço pequeno, o mestre vendo a minha teimosia… «lá anda você a querer meter o Rossio na Rua da Bitesga»,rsrs. Inté. L.F.

  3. Tudo o que sou e que sempre desejei ser, eu devo a meu anjo Mãe.

    Autor: Abraham Lincoln | Tudo pode ser incerto neste mundo hediondo, mas não o amor de uma mãe.

    Autor: James Joyce

    Também sou dos que concordo que se continue a festejar este dia como o dia de todas as MÃES.

    Leo II

  4. Bela, Luisa e Leo: Na verdade é sempre bonita esta data porque a malta menos nova fez deste dia durante muitos anos um dia especial. O poema do Drum. de Andrade é também ele um poema especial de saudade….

  5. Luis Furtado: Alô alô Furtado. O Rossio já chegou e bem bonito. Está para saír. \\\ A foto da minha mãe foi tirada em Moura porque ela sendo modista de chapéus de senhora e sendo dificeis os tempos, ía muitas vezes ao Alentejo ( aliás, aventurava-se)para ensinar pessoas interessadas em aprender a arte. Camionete da Eva por aí a cima à sorte, para ganhar a vida, com a minha avó que lhe fazia companhia e
    servia de ajudante da modista. Hoje sei melhor apreciar a sua luta uma vida inteira. \\\ Abraço – E todos ao Rossio ! rsss Palma

  6. Palma; está esclarecido… ainda magiquei a sua Mãe ser natural de Moura e por qualquer motivo ser parente dos meus parentes e nós ser-mos aparentados,rsrs. \\\ Estive a ver as actividades da casa da cultura… vai haver o XIX evento sobre fotografia… não sei se entre se não, tenho uma foto tirada em 75 que está actualizada, é um pedinte na escadaria do metro de mão estendida, ensonado, rodeado de alguma propaganda politica… podia pôr-lhe o título; “o passado, o presente e o meu futuro”,rsrs. \\ Já por mais que uma vez faço apelo à montanha, e se ela não vem até mim, terei eu que ir ter com ela e se o tempo ajudar, devo andar por aí no próximo Domingo. Inté. L.F.

  7. Luis: É uma pequena exposição que vai acontecer por lá. \\ Essa foto do pedinte não vai ser de certeza o retrato do seu futuroa.\\ Quanto à história da montanha o melhor mesmo é descer até ela, porque quem não aprece esquece ???? rs Boa viagem então. Palma

  8. Não gostei, que a igreja tivesse mudado o dia da Mãe.A que propósito, o teria feito?

    Bela foto, adoro fotos antigas.

  9. Poema à Mãe
    No mais fundo de ti,
    eu sei que traí, mãe

    Tudo porque já não sou
    o retrato adormecido
    no fundo dos teus olhos.

    Tudo porque tu ignoras
    que há leitos onde o frio não se demora
    e noites rumorosas de águas matinais.

    Por isso, às vezes, as palavras que te digo
    são duras, mãe,
    e o nosso amor é infeliz.

    Tudo porque perdi as rosas brancas
    que apertava junto ao coração
    no retrato da moldura.

    Se soubesses como ainda amo as rosas,
    talvez não enchesses as horas de pesadelos.

    Mas tu esqueceste muita coisa;
    esqueceste que as minhas pernas cresceram,
    que todo o meu corpo cresceu,
    e até o meu coração
    ficou enorme, mãe!

    Olha — queres ouvir-me? —
    às vezes ainda sou o menino
    que adormeceu nos teus olhos;

    ainda aperto contra o coração
    rosas tão brancas
    como as que tens na moldura;

    ainda oiço a tua voz:
    Era uma vez uma princesa
    no meio de um laranjal…

    Mas — tu sabes — a noite é enorme,
    e todo o meu corpo cresceu.
    Eu saí da moldura,
    dei às aves os meus olhos a beber,

    Não me esqueci de nada, mãe.
    Guardo a tua voz dentro de mim.
    E deixo-te as rosas.

    Boa noite. Eu vou com as aves.

    Eugénio de Andrade, in “Os Amantes Sem Dinheiro”
    // Consultar versos e event
    Alda Alves que coisa linda este poema do Eugenio de Andrade Viva o Dia DA MÃE .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *