Recordando a época balnear de outros tempos…..

Há uns quatro ou cinco dias que se faz sentir uma temperatura que lembra o verão. E por isso mesmo muita gente já andou a procurar nas gavetas dos seus guarda roupas algumas vestimentas a condizer com a época que se aproxima .

Brevemente as praias irão ficar repletas e as revistas e os jornais vão repetir inúmeras vezes

os cuidados a ter com a pele, sendo certo que apesar de toda a gente os ter lido e escutado centenas de vezes, lá estarão a «torrar» ao sol muitos dos que não ligam a estas proibições.

Em tempos idos as preocupações pareciam mais ter a ver com o tamanho dos fatos de banho do que com os escaldões.

Luis Guerreiro na sua página do F.B fala precisamente dessa proibição de outras épocas balneares:

“ Nos termos da Constituição de 1933, competia ao Estado zelar pela moralidade pública e tomar todas as providências no sentido de evitar a corrupção dos costumes. Era assim que começava o preambulo do Decreto lei nº 31 247 de 5 de Maio de 1941 e que determinava as caracteristicas dos fatos de banho de homens e mulheres, de modo a evitar poucas – vergonhas. – Ambos os sexos tinham que cobrir o peito na praia , as mulheres tinham de usar saiote sobre todo o calção e o decote não podia ser exagerado. Quem não cumprisse lá estavam os cabos do mar para passar as respectivas multas. “

Fotos: gentilmente cedidas por L. Guerreiro.

9 comentários a “Recordando a época balnear de outros tempos…..

  1. Despidos pela crise vamos lendo por aí. Li há pouco no Pulblico on line este comentário:
    e paulo , lisboa. 11.04.2011 15:25
    Fernado Nobre,o latifundiário da indústria

    humanitária como bem lhe chamou o Luís de Gaia,revela-se o que foi ao longo de uma vida:um homem (e a sua família) a viver bem à custa da desgraça alheia com cheques dos Negócios Estrangeiros e das grandes empresas,sem fazer a ponta de corno,e que acha que está na altura de mudar de amo para que tudo fique na mesma.Pois sem miséria,sem fome,sem guerra,sem sofrimento Fernando Nobre não é nada.

  2. Fernanda e Laos: Naquela época o problema maior era mostrar as « carnes» não as queimaduras na pele. Falsa moral e não só.
    Laos: Na verdade o Fernando Nobre parece ter deitado abaixo a credibilidade que obteve na AMI, embora já se diga por aí que na Ami a coisa também não era assim tão limpinha. Mas disso eu não sei. Boa semana – Palma

  3. A primeira inglesa que apareceu em bikini em Quarteira foi levada de imediato para o posto da GNR segundo contavam amigos meus que ali viviam nessa altura. Depois o Bikini tomou conta do mundo e hoje senhora que não o use é apelidada de saloia ou mal feitona. Mudam-se os tempos…. Eros

  4. Luisa: É verdade que tudo está em constante mudança. Até direitos que julgávamos adquiridos para sempre é pura ilusão. Nada é para sempre….

  5. Quando a economia mundial está em baixo de forma, o primeiro nome que vem à cabeça é sempre o mesmo: Wall Street. E num período de crise como o que se atravessa agora, todos querem disseminar o que se passa, ou mostrar uma história interessante sobre o desatre ou, até mesmo, imaginar o que se vai passar a seguir.

    O charmoso actor George Clooney e o seu colega Grant Heslov estão também interessados neste assunto. Por isso, estão a elaborar um projecto baseado num artigo do Washington Post intitulado “The $700 Billion Man”.

    A escritora do artigo, Laura Blumenfeld, escreveu esta peça em 2009 sobre Neel Kashkari, o homem que ajudou a desenvolver o Troubled Asset Relief Program (TARP). Este projecto, porém, teve consequências imprevistas na vida pessoal de Kashkari: raramente via a sua esposa, era atacado por políticos e pela imprensa. A pressão foi tanta que acabou por desistir e mudou-se para um lugar recatado para poder recuperar. MSN Cinema

  6. O ar espanto do banhista para o banheiro que certamente o estava a chamar a atenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *