Ruas da minha cidade – 2 -Largo de S. Francisco

J.S. Francisco

JARDIM DE S. FRANCISCO

A imagem hoje colocada e datada de 1957, mostra-nos em tons cinzentos e a condizer com a Sociedade de então, o nosso Jardim de S. Francisco.

Muito verdejante e bem diferente do que é hoje, este jardim era durante o dia o refúgio e passatempo de muitos idosos, pois à sombra das suas frondosas árvores se entretinham a contar histórias da sua mocidade ou a comentar os excessos dos jovens da altura, pois como é sabido todos os tempos de juventude são sempre alvo de críticas dos mais velhos.

Nas noites de Verão o jardim enchia-se de criançada cujos pais e avós, também aproveitavam a frescura do grande lago ali existente e do aconchego dos bancos que o rodeavam.

Havia até quem chegasse mais cedo para conseguir os melhores lugares, pois o Serão prolongava-se muitas vezes até quase à uma hora da madrugada.

Ainda me parece escutar as cantigas de roda e a gritaria saudável da miudagem que como eu , não se cansava nunca de correr e de escolher os muitos jogos que haviam na altura, como “ A Cabra cega” “ A Maneca” “ Cavalinho da Batalha” entre outros. Lembremo-nos que os brinquedos de então apesar de não serem muito variados também não eram acessíveis a todos os bolsos.

Mas nada dura eternamente, pelo menos nesta vida terrena. E eis que tudo foi mudando quase sem darmos por isso. Desde os hábitos de entretenimento dos mais velhos até às brincadeiras dos mais novos pouco vai restando do passado. E à velocidade que a técnica e a ciência caminham,

dentro de muito pouco tempo apenas algumas fotografias ou filmes servirão de termo de comparação entre os dias vertiginosos de hoje e os lânguidos e infindáveis dias de ontem.

Texto : Palma – Imagem: Autor desconhecido

12 comentários a “Ruas da minha cidade – 2 -Largo de S. Francisco

  1. Falar do Largo de S. Francisco hoje completamente adulterado é dar um salto ao passado. Quem da nossa geração e da freguesia de S. Sebastiao não brincou naquele jardim. Grandes correrias atrás das mocinhas de tranças pretas e louras. E que fresquinho se sentia junto daquele lago também hoje destruído.

  2. O Jardim de S. Francisco não ganhou nada com a remodelação tipo modernaço. Morei ali próximo
    e tenho saudades do antigo jardim que tinha a ver connosco ao contrário daquela coisa que tanto pode ser de Tras os Montes como da Beira Baixa, tudo menos Loulé.

  3. Espero que ainda haja alguém que possa mudar aquela área e que tenha a sensibilidade necessária para isso.

  4. Palma, onde é que fica este jardim?… não estou a ver, será por a foto ser a preto e branco?… bem, juntando as duas cores dá cinzento, é o que vejo nesse jardim. Há coisas que deviam ser intocáveis… não sou contra melhorias quando necessárias, mas neste caso não houve melhorias nenhumas, pelo contrário, piorou e de que maneira… e agora Palma, como é que os meus netos vão às ameixas?rsrs. Quando ando por aí, só o vejo de passagem. Já agora pergunto se também desapareceu a calçada à Portuguesa? \\\ A Rosário está com vontade de vir visitar-me por isso falei da boleia, mas se vier por sua conta e risco,rsrs, e se conseguir vir até dia 26/27 ainda verá no chão, um dos cenários pra Revista… dizem mas não acredito, que a ante-estreia é dia 30. E o Burro sou eu?rsrs. Inté. L.F.

  5. Luís Furtado: Realmente este é outro jardim. Copiado certamente de um outro qualquer em qualquer parte do mundo menos Loulé. A calçada Portuguesa que o cobria foi-se à vida. Não faço ideia para onde. Quanto à data para ir aí neste momento não sei ainda pois está dependente de uma questão…\ Mas a estreia para o publico está prevista para dia 1 de Outubro ? Abraço -Palma

  6. Cara amiga Cravo. Seja bem aparecida por esta saleta à luz da lua…rs.. Já estive a escutar o Vítor Espadinha que por acaso já tenho em CD mas lembro-me de uma outra que era o L’eté Indien cantada pelo Joe Dassin e que me parece que o To Zé Brito foi ali buscar a inspiração… Mas como dizia o Abrunhosa, já está tudo inventado, agora é uma questáo de juntar um bocadinho daqui com outro dali e mais umas notinhas originais…rs… Talvez seja. Mas na realidade essa é mais uma cançaõ para este mês de Setembro. Obrigado – Abraço –

  7. João Martins.- E que bem sabia aquela aguinha nos dias de canícula. Depois de uma boa corrida vir ali retemperar forças com a frescura da mais bela bebida do mundo … que bom. Abraço. A próxima foto a publicar
    tem a ver com algo que conheceu.
    Palma

  8. Olá Amigo Palma! É verdade tenho andado afastada, mas venho sempre cá espreitar:)
    Mais um belíssimo dia de Setembro para todos os que aqui estão na Louletania.

  9. Cravo é bom saber que pelo menos os amigos dão uma espreitadela, pois um blog sem amigos é como uma casa vazia. Abraço para essa Lisboa de outras eras. Palma

  10. O Jardim da minha infancia. Que belo Lago e bela calçada tinha este jardim, já não contando com as belas sombras de verão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *