Trono de Stº António louletano

SAM_0744 SAM_0742

Os tronos em honra de Stº António de Lisboa remontam ao Século XVIII e eram por vezes obra de muitos. Os pátios das capital reuniam-se para a construção dos tronos com o apoio das colectividades do bairro. Os materiais que utilizava eram, essencialmente, madeira, esferovite, plástico, papel autocolante de várias cores e tempo. Muito tempo. “Todas as horas livres, até as de almoço, eram para trabalhar no trono. ” No Adicense, a outra colectividade do bairro, mantém-se a tradição, embora, como reconhece o presidente, os tronos que ali se constroem sejam “menos elaborados” do que os da concorrência. Noutros bairros de Lisboa também existiu este costume. Contam-se entre eles a Mouraria, a Lapa e a Bica.

 

Uma velha tradição

A tradição dos tronos de Santo António remonta já ao século XVIII. Terá começado após o terramoto de 1755, quando a igreja daquele que no século XVI se tornou o santo nacional português ficou parcialmente destruída. Particularmente querido dos lisboetas, que o preferem ao santo padroeiro da cidade, S. Vicente, Santo António não podia ficar sem casa. Daí a necessidade de se pedir “um milreizinho para o Santo António” e arrecadar fundos a fim de reconstruir a igreja. Santo António de Lisboa e de Pádua nasceu Fernando de Bulhões em 1195, próximo da Sé de Lisboa, no sítio em que, no século XV, D. João II erigiu a sua igreja. Tornou-se frade franciscano em Coimbra e terá partido para Pádua a convite de Francisco de Assis, onde acabou por falecer a 13 de Junho de 1231. “ (in Jornal Público ).

 

Por cá, na Província, também havia quem os fizesse nalgumas terras em que o fervor pelo Santo, era grande. Hoje poucos são os que podem ser visitados já que os existentes se encontram em casas particulares.

 

As duas fotos que publicamos dizem respeito ao Trono de Stº António, da Família Palma de Loulé, elaborado neste mês de Junho e mais uma vez em louvor de Stº António.

 

6 comentários a “Trono de Stº António louletano

  1. Viva o nosso Santo Antoninho Padroeiro de Lisboa e de muitas outras terras portuguesas.

  2. Bela tradição que como muitas outras está no fim. Bom fim de semana para todos.

  3. As tradições pouco a pouco váo desaprecendo. É uma pena porque elas vêm de tão longe e por este caminho qualquer dia o passado não vale nada.

  4. Versos populares a Santo António:
    AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
    Manjericos de Santo António
    Versos que a vida leva e trás
    Só queria que no meu
    O tempo pudesse voltar atrás

    Aos meus anos de menina e moça
    Em que Alfama era luz e cor
    A noite era criança
    E as promessas eram de amor

    Nos bailes e arraiais
    Arranjar noivo não era para mim
    Só queria ser livre e jovem
    E continuar a dançar assim

    Subir ao Castelo era da praxe
    Com os amigos reunidos
    Todos os becos eram paragens
    Até os mais esquecidos

    Manjericos de Santo António
    Versos que a vida leva e trás
    Só queria que no meu
    O tempo pudesse voltar atrás

    Helga

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *