Um Furacão Humano passou por Loulé

Logo que nos contaram, não queríamos acreditar e pensámos tratar-se do abate de alguma árvore em avançado estado de velhice e à beira de provocar qualquer acidente pelo peso dos anos. Mas não . Quando descemos a Praça da República, toda ela parecia ter sido alvo de um bombardeamento ou vítima da passagem de um furacão. Homens , cordas, serras eléctricas e viaturas de « guerra», abatiam em minutos as belas árvores que adornaram e deram sombra a tantos e tantos louletanos durante quase uma centena de anos na Sala de Visitas de Loulé.

Muitos mirones, alguns palpites sobre os motivos de tal operação «furacão» e nenhuma informação aos passeantes sobre tão triste espectáculo. Dizem que a Praça da República vai sofrer

arranjos pagos pela CEE e a data para os subsidios que se destinam às obras estará prestes a terminar. Desconhecemos a veracidade deste «palpite» ou de outros e por isso, além de ficarmos «embasbacados», apenas poderemos acrescentar que as comemorações do DIA DA ÁRVORE na nossa cidade ficarão tristemente assinalados na memória de muitos louletanos.

Texto e Foto : Palma

13 comentários a “Um Furacão Humano passou por Loulé

  1. O pasmo era geral mas apenas boatos surgiam. E é natural . Numa terra onde ninguém é informada de coisa nenhuma só pode dar este resultado. Aldina

  2. Sabedoria chinesa

    Se quiser derrubar uma árvore na metade do tempo, passe o dobro do tempo amolando o machado.
    Assuntos: árvore, Tempo
    Autor: Provérbio Chinês |

  3. Melhor que o Provérbio chinês é este provérbio árabe:
    ( A árvore quando está sendo cortada, observa com tristeza que o cabo do machado é de madeira. )

  4. Imagem cinzenta esta Palma; e eu que me preparava para falar da Rita Lee… com todo este aparato até perdi a vontade…

    Resta-me dizer que;

    Ao Domingo a Cidade fica mais pobre,
    ao Domingo, vai ficando mais vazia,
    ao Domingo, num acto menos nobre,
    desaparecem árvores e sombras, do nosso bem estar e alegria.

    Em contrapartida já apresentei à junta aqui do bairro a plantação das amendoeiras… boa recepção… a ideia vai ser discutida, fico aguardando a resposta… para melhor os convencer, fotografei os espaços livres e por cima das fotos pintei amendoeiras floridas,rsrs. Inté. L.F.

  5. Aldin, Chi e Oriente todos afinal comungamos deste amor às árvores sobretudo àquelas que nos proporcionaram tantas frescas sombras em dias cálidos de Verão.

  6. Luis Furtado: Acredito que a Rita Lee uma defensora do ambiente se tivesse arrepiado perante este cenário nada musical. É certo que lá pelos Brazis a mão do homem já decepou milhões de árvores. Mas como aquela terra é uma imensidão possivelmente aqui neste nosso espaço de vivência tão pequeno, cada árvore que se vai é uma perda ainda maior.\\ Bonito gesto esse da sua Junta por apoiar a plantação de amendoeiras nessa zona. Abraço e até mais tarde. Palma

  7. Luís :Esqueci-me de agradecer o poema
    dirigido às almas sensíveis a estas coisas e à cidade/espaço onde todos queremos viver em harmonia com a Natureza. – Palma

  8. Escrito no Brasil este poema que acabo de ler algures e que vou oferecer aos destruidores de árvores.

    A árvore tua amiga
    Abrigo das tuas horas de sossego.

    A árvore tua salvação
    Cobertura de folhagem que exala cheiro.

    A árvore tua camarada
    Que te defende dos raios solares.

    A árvore tua dispensa
    Que dispensa qualquer comentário contrário.

    A árvore tua respiração
    Que te faz respirar e continuar a viver.

    A árvore tua tabua de salvação
    Quando não tens para quem recorrer na corrida.

    Tu!
    O destruidor de árvore.

    Chicão de Bodocongó foi a melhor maneira de homenagear o bairro que moro a trinta anos na cidade de Campina Grande ( Bodocongó ), Paraíba. O meu nome é Francisco de Assis que é acompanhado pelo sobrenome Cunha Metri.

  9. A necessidade de muito verde no planeta acontece para evitar ou amenizar o super aquecimento da Terra. O gás carbónico que produzimos com a respiração e, principalmente, com a queima de combustíveis fósseis, como o petróleo, é o principal responsável pelo superaquecimento, pois impede que a radiação solar que recebemos volte ao espaço.
    O papel da flora da terra é, através do processo de fotossíntese, reter boa parte desse gás carbônico, liberando Oxigênio.

    Daí você já pode entender várias coisas, como a razão de falarem tanto sobre diminuir a utilização do petróleo, trocando pelo biodiesel, do degelo das calotas polares por causa da elevação da temperatura do planeta, do aumento do nível do mar, por causa disso…

    O mais irônico é que o homem, único animal RACIONAL, é o único que destrói o meio em que vive.

  10. Solicitamos através deste blog tal como já o fizemos noutros que o Quiosque da Camila seja reaberto. Estamos numa altura que é preciso demonstrar a nossa repulsa contra a destruição arbórea a Praça da República. Uma vergonha.

  11. A Louletânia da memória e dos prazeres da vida, realge à ofensa e à penúria de vergonha. Faz bem, porque é hoje e agora, que estão a ser destruídas as memórias e descaracterizada a Louletana Cidade!
    Por muito que possa doer a quem o apoia: Não há Purgatório que o salve de tal atrocidade!

  12. Anda tudo maluco?! … começaram … e estão acabando pelos vistos … Não imagino o que vem por aí, mas descaracterização da avenida sem dúvida! … eles não sabem nem sonham … enfim!
    Luis … depois fazemos uma excursão aí, pra ver as amendoeiras em flor … ok? não é mesmo Palma? … temos primavera envergonhada … se calhar assustada com essas atrocidades … um abraço

  13. Liliana: A coisa está brava ou melhor dizendo a sensibilidade anda arredada daqui. \\ Já estou a ver o Luis da sua alta janela pintando as amendoeiras…rss… Abraço nesta noite de Primavera sem frio mas cinzentinha. Palma

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *