Uns breves minutos com Solnado

No post anterior falámos dos grandes cartazes que anunciavam os espectáculos em Lisboa, do louletano e cenógrafo/pintor Luis Furtado e ainda do Cine/Teatro Monumental.

Naturalmente que hoje, falar de um artista que levou o público do Monumental ao rubro, nas muitas vezes que ali actuou, vem mesmo a calhar.

Falamos de Raul Solnado o grande actor português que faleceu o ano passado e que ao longo de 57 anos de carreira, fez revista e opereta, drama, comédia e musical, cinema e televisão, fez telenovelas e sitcoms, foi apresentador de concursos e talk-shows, especialista do nonsense, fez stand-up-comedy no tempo em que a expressão ainda não existia. Mas, se lhe perguntassem, dizia sem hesitar que era um actor cómico.

“O humor ou é fácil ou é impossível”, costumava dizer. “É um dom inato. Há pessoas que nascem com o dom, há outras que não o têm. A atenção que se dá ao mundo é fundamental. O humorista tem um ponto de vista muito especial sobre aquilo que o rodeia. Tem a habilidade de detectar o ridículo no seu semelhante. E serve-se disso.”

A primeira vez que percebeu o poder do riso tinha quatro anos. Estava no quintal, um pombo pousou-lhe no ombro e ele lançou um “foda-xe”. Os adultos riram-se, mas o pai pô-lo de castigo. Deve ter sido das poucas vezes que usou um palavrão para fazer rir, esse não era de todo o seu estilo. Preferia um “humor amável, não agressivo.”

Hoje vamos aproveitar para recordá-lo num programa na televisão brasileira, numa altura em que também por aquelas terras fez sucesso.

Palma: Fonte – D.N. – Artes

12 comentários a “Uns breves minutos com Solnado

  1. Solnado foi uma estrela no nosso panorama nacional. Para além de um grande artista foi segundo dizem os que com ele privaram, um excelente ser humano.

  2. Mais uma bonita homenagem … e merecida sem dúvida.Estrelas que partem pra brilhar num outro firmamento … quiça mais gratificante … crescemos com o Solnado … nossos filhos … e eu posso dizer, o meu neto … que está muita vez a ver no youtube … Valeu Palma ! um abraço

  3. Liliana: É verdade que crescemos ouvindo Solnado e outros. E temos de saber distinguir o que era bom desse tempo do que pouca importância tinha.
    \\ Já sei que amanhã há bombardeamento em Faro(salvo seja) com o 10.- Abraço – Palma

  4. Nina: Pelo que dizem as pessoas que com ele privaram, acho que foi um excelente ser humano. Nem sempre os grandes artistas de quem tanto ouvimos falar…. são excelentes seres humanos.

  5. Há gente de hoje que não aprecia o tipo de humor do Solnado. É evidente que ele fez parte de uma época e foi original pois tinha um estilo próprio. Certamente o Bruno Nogueira ou outros de hoje daqui a 50 anos não terão piada nenhuma. Não será ?

  6. … e agora temos música aqui na pontinha … a RTP1 transmite em directo … demasiado vento pra mim … hoje de manhã foram os caças e não só a passar aqui por cima lol… e vamos continuar a honrar Raul Solnado!

  7. Liliana: Com esse estado de «guerra» em Faro, aconselhava-a a ir dormir à sua serra salirense onde apenas os cucos e corujas embalam os sonhadores ou mesmo os que sofrem de insónias. E amanhã já é sexta de novo…. Eles a passarem e a gente a vê.los…. o que já não é nada mau.

  8. Viva Palma; por aqui a chuva instalou-se na Cidade… resta-me para consolação estar a ouvir, (veja só), a Masisol enquanto escrevo. \\\ Já devem conhecer… uma vez o Vasco Morgado chegou-se à beira do Raul Solnado e disse-lhe que a partir daquela data ia passar a ganhar x, ou seja, ia passar de Cavalo para Burro… mais tarde no programa Zip zip,? e em conversa relacionada, o Raul, (com o humor que se lhe reconhece), disse, pois é, «fui desaumentado»,rsrs. \\ Pra semana começo com a nova Revista que ainda não tem título. \\ Nas entretenhas das gravações, encontrei uma com um “lamento” de quem vive no morro… deixo aqui só o refrão…

    Se vocês estão a fim de prender o ladrão,
    Podem voltar pelo mesmo caminho,
    Os ladrão está escondido lá em baixo,
    Atrás da gravata e do colarinho…etc.

    Canta Bezerra da Silva. Inté.L.F.

  9. Luis: Há por aqui muitas nuvens mas a chuva não tem aparecido hoje. COm que então escutando a Marisol a jovenzinha loira que cantava La Tombola… seria essa a canção que estava escutando ? \\ Realmente numa altura em que Solnado era uma estrela, « desaumentarem-lhe» o ordenado era coisa de fraca ideia. \\ Quanto ao verso do c olarinho branco no Brasil é como cá… os homens que detêm o poder das «notas»
    com coralinho ou sem colarinho escapam-se sempre. E depois vêm dizer que as suas fortunas já não são o que eram. E a gente com uma pena. Veja-se os homens do BPN nem uma notícia sobre eles os jornais trazem. O bombo é sempre o mesmo…..

  10. Moços, desejo-vos um bom dia de Stº António que já aí vem . Que haja sol nos corações.

  11. Viva Palma; não sei se dê os bons dias, ou assim assim… por aqui o S. António está com cara de poucos amigos… espero bem que faça um “milagre” e não entorne a bilha senão vamos ter casamentos e marchas molhadas,rsrs. Faz hoje uns anitos que me encontrei com um outro grande amigo num arraial da Mouraria numa grande sardinhada regada com uma boa sangria para atenuar o calor, que não se iguala ao dia de hoje… mudam-se os tempos, muda-se o calor,rsrs. Esse amigo, actor e pintor, chamava-se José Viana. \\\ Depois envio a “carta” do Bezerra da Silva. Inté. L.F.

  12. Luis: Cinzento, cinzento com ar de chover a potes mas sem pinga de água… até agora. Nesta véspera de Stº António parece mais mês de Natal do que Santos Populares. Mas esperemos então que venha o sol. \\ Recordar o José Viana é recordar outro grande actor e homem bom. Soltemos então uma viva a Stº António ! Saúde. Palma

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *