VAMOS AO BANHITO ?

 

A mais poderosa Rainha espanhola , Isabel a Católica, que uniu os reinos de Castela e Aragão, reformou o Clero e patrocinou a viagem de Colombo à América, foi a mesma mulher que em 53 anos de vida apenas tomou dois banhos de corpo inteiro.
Os cuidados de higiene não eram o forte dos monarcas medievais e modernos. Luís XIV tinha medo da água e só tomava banho por ordem médica. Nos mosteiros do século VI só aos monges mais velhos era permitido banho no Natal e na Páscoa. No século XIII só se lavava a cara e as mãos e no Palácio de Versalhes em 1715, as fezes eram recolhidas dos corredores uma vez por semana. E até o nosso D. João VI de Portugal acreditava que a roupa absorvia a sujidade.
No entanto os Romanos esfregavam-se nos banhos públicos mas o Cristianismo, ao condenar o culto do corpo, provocou um retrocesso na evolução da higiene.
Mas foi no século XIX que se revoluciou a dita, surgindo a retrete, o chuveiro, o sabonete, o desodorizante e o papel higiénico.
Hoje, segundo a escritora Katherine Ashenburg os cuidados de limpeza deram um enorme salto “ Caiu-se no exagero da assepsia”.
E se o clima em muitos países continuar a mudar com secas de anos e anos , será que no futuro vamos fazer como os monges do século VI ? Banhito ? Só pelo Natal e na Santa Páscoa !

– – – – – Fonte: Rev.. Sábado –

5 comentários a “VAMOS AO BANHITO ?

  1. Com a crise instalada como está, devemos todos voltar ao sabão azul. É melhor, mais barato e é português. Gon.

  2. Quem havia de dizer que uma mulher de armas como Isabel a Católica era tão fugidia a esse precioso líquido ? Mimi

  3. Hoje talvez tenhamos caído no extremo, nas Sociedades ditas desenvolvidas. Qualquer dia nem a pele aguenta tanta esfrega.
    Madeleine

  4. Rezam crónicas da época e ainda muita gente mantem em vigor quer o Napoleão mandava pombos correios à Maria Antonieta para o esperar em 3 meses que era para ela não se lavar.Aquilo devia ser uma coisa!? A Isabel por certo gostava de preservar as bactérias num equilibrio ambiental muito mà frentex do termo e razões religiosas.De qualquer modo para muitos/as, o + ou menos cheiro é uma questão mais de gosto do que higiéne, desperta o lado animal da coisa.

  5. É um pouco difícil transportarmo-nos a essas épocas…… e compreender os gostos, hábitos…. \\Ainda há hoje quem aprecie uma boa baforada de mau cheiro…… Há gostos para tudo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *