Velhos autocarros da Carris matam saudades !

Por cá, na província algarvia, nunca existiram autocarros de dois pisos. Mas para quem se deslocava a Lisboa há muitos anos atrás, estes autocarros verdes e ruidosos, faziam as delícias, sobretudo da pequenada para quem uma viagem no piso superior era um verdadeiro regalo. Mas a Carris voltou a colocar há pouco nas ruas de Lisboa, cinco dessas viaturas dos anos 40 e 50.

O Jornal de Notícias conta-nos em pormenor como eram e como são agora os famosos autocarros da Carris.

ººººººººººººººººººº

“ Eram ruidosos, faziam os passageiros arder de calor e deixavam nuvens de fumo à sua passagem. Mas hoje os lisboetas têm saudades dos autocarros que andavam pela cidade entre as  décadas de 40 e 80. A Carris pô-los na rua de novo, com grande sucesso.

Ar condicionado, piso rebaixado, direcção assistida, travões com ABS e motores modernos são comodidades que Luís Marçal, 64 anos, se habituou a não dispensar. No entanto, há 39 anos, quando começou a carreira de motorista da Carris, onde ainda trabalha, o panorama era outro.

“A diferença dos primeiros carros que conduzi para estes é como a da noite para o dia”, descreve o motorista, que ainda se lembra do barulho infernal do velhinho 301, verde e com dois andares, onde o calor era quase insuportável no Verão, por causa do “radiador a ferver ali ao lado”.

Para trás ficaram os tempos em que, nas estradas mais inclinadas, como a Calçada de Carriche, sempre que a cacimba era mais forte, os autocarros patinavam e os passageiros eram obrigados a sair das viaturas para que fosse possível vencer a subida.

Muito mudou, desde essa época. As rotundas e os semáforos substituíram os polícias sinaleiros. E, com a expansão do metro, a multiplicação de carros particulares e o fecho de fábricas e empresas em Lisboa, o número de passageiros da Carris diminuiu muito.

Dos autocarros antigos ficaram as memórias dos mais velhos e a curiosidade dos mais novos. Foi por isso que a Carris decidiu, desde Maio, organizar passeios com cinco viaturas dos anos 40 e 50, pelo centro de Lisboa, ao terceiro sábado de cada mês. Segundo Luís Vale, director de comunicação da transportadora, a iniciativa tem tido lotação esgotada.

Mas o sucesso não surpreendeu os responsáveis da empresa. É que, assim que os autocarros começaram a circular experimentalmente – os motoristas tiveram de ter formação durante dois meses, uma vez que já ninguém os sabia conduzir – choveram telefonemas a perguntar  se a transportadora tinha adquirido viaturas novas. “

Foto: Arquivo- Louletania, obtida há seis anos atrás na Avenida da Liberdade em Lisboa quando da saída para um desfile, de um desses velhos autocarros da Carris.

9 comentários a “Velhos autocarros da Carris matam saudades !

  1. Para a malta que viveu em Lisboa lembra-se perfeitamente desses velhos autocarros hoje engraçados mas naquela época, muito ruidosos, com calor sufocante lá dentro e fumo pelas ruas…. mas era o que havia. A esta distância é agora interessante lembrar os velhos autocarros da Carris. Tenho de lá ir para dar uma volta. Bom feriado.

  2. Agora que aqui vejo o verdinho da Carris vou deixar por cá uma letra de um fado do Carlos do Carmo que falava do Amarelo da Carris:
    CARRISCARRISCARRISCARRIS
    O amarelo da Carris
    vai da Alfama à Mouraria,
    quem diria.
    Vai da Baixa ao Bairro Alto,
    trepa à Graça em sobressalto,
    sem saber geografia.

    O amarelo da Carris
    já teve um avô outrora,
    que era o xora???.
    Teve um pai americano,
    foi inglês por muito ano,
    só é português agora.

    Entram magalas, costureiras;
    descem senhoras petulantes.
    Entre a verdade, os peliscos e as peneiras,
    fica tudo como dantes.

    Quero um de quinze p’ra a Pampuia.
    Já é mais caro este transporte.
    E qualquer dia,
    mudo a agulha porque a vida
    está pela hora da morte.

    O amarelo da Carris
    tem misérias à socapa
    que ele tapa.

  3. Vejam só para onde vai o dinheirinho nosso para a Madeira. O Dr. Jardim faz a divisão e a seguir chama-nos porcos.
    CLUBE MARITIMO ESTADIO 45.814. OOO Euros
    Subsidio para o Maritimo: 2.454.000 E.
    Clube da Camacha: 351.ooo Euros

    Até esses autocarros verdinhos ficam amarelos. Madeirense a viver no Algarve –

  4. Palma; ontem, estes autocarros teriam dado um jeitão na baixa Lisboeta, não havia tantos carros a fazer glu glu glu,rsrs. Já caiu uma ligeira carga à bocado, espero que fique por aqui, não vá uma outra coincidir com a maré que é sempre a grande culpada de todas as cheias… aqui prós lados da Amadora também as houve, a praia mar não chega até aqui,estamos num alto, rsrs, a conclusão que tiro é da falta de limpeza dos esgotos atempadamente. \\\ Lembro-me das grandes estafetas que se fazia para apanhar estes Autocarros, a entrada era nas traseiras, porta aberta, com um varão onde nos agarrava-mos para entrar… uma outra foi de uma greve na carris onde os funcionários trabalhavam mas não cobravam bilhetes, havia um silêncio que metia respeito ao mais brincalhão dos passageiros… lembro que foi no tempo da outra senhora, hoje, as senhoras são outras e as greves continuam,rsrs. \\ …E nós por cá… estou a pintar uma vaca com a bandeira Portuguesa, esquelética, meia moribunda, toda chupada das carochas com o zé a tentar ergue-la e ela nada, está sem forças para se erguer,rsrs. Está-se mesmo a ver pró que é não tá-se?,rsrs. Inté. L.F.

  5. Ao que as vacas se prestam Luis!? … ou ao que nós chegámos … sem comentários …
    Eu ia perguntar Palma, pelo amarelo da carris, mas já li o velho fado … gosto desse verdinho, ai gosto! … e pela louletania? a baixa já está pronta?… por cá são traços amarelos …que já começam a desaparecer … tinta falsificada … Um fim de semana em grande!

  6. Telma, Rosa e Madeirense: O Amarelo da Carris alé m de ser um grande fado continua a percorrer as ruas de Lisboa. E bem bonitos são na paisagem lisboeta.\\\ Madeirense, afinal a massa que a gente envia lá para a Madeira , está bem distribuída…. aos milhões para a bola. Cada um mete o golo à sua maneira. Coisas!

  7. Luis e Lila: AInda bem que choveu qualquer coisa pois estamos a chegar a Novembro e começa-se a sentir a falta da dita e bendita água. Só que está tudo tão mudado que até a água quando vem cai de uma assentada e não há quem a segure. Ainda há pouco estava a ver na televisão imagens do Tsunami naquela ilha do Pacífico e outras chuvas torrenciais……o que quer dizer que quanto mais pobres são aqueles tristes daquelas bandas mais desgraças lhes surgem ficando apenas com as tristes camisolas no corpo! \\\ Com que então a pôr a vaca ainda mais magra…..rs. Já teve reunião pelo telele ? \\ Lila:
    Parece-me que a crise ainda não está no auge……para mal dos nossos pecados. Os Chineses, os Indianos, os Pquistaneses e outros com o seu trabalho escravo, rebentam com o comercio cá da Europa e de outros lados del Mundo .´E um pagode chinês. Vamos lá a ver se os ingleses e os irlandeses também com as crises deles não deixam de vir para o Algarve. Não seria agradavel numa altura destas…. Bom fim de semana- Palma

  8. Para dizer a verdade não tinha muitas saudades desses autocarros. Cheguei da América há duas semanas com o tal selo de despedimento no traseiro. Vão roubar para a China. Há por lá muita gente mais ou menos bem mas são cada vez mais os que são abandonados à sua sorte. Fisca-se. Aguardemos o desenrolar da novela. O Snr. Busch descontolou esta merda toda e agora aviem-se.

  9. Américo a coisa está tremida por todo o lado e o paraíso americano pelo jeito já não o é. Mas a sua prima falou-me que queria voltar à Inglaterra que pelo jeito da carruagem parece-me que não está melhor. De qualquer modo espero que consiga algo. Bom domingo. Palma

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *